Mário Tourinho

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal


“Mulheres na Academia”

O título acima é o mesmo de uma crônica do imortal Carlos Romero, da Academia Paraibana de Letras (APL), publicada no Correio da Paraíba de 21 de março de 2011 (portanto, há pouco mais de 9 anos).

Praticamente três meses depois (13 de junho do mesmo 2011), ele, Carlos Romero, escreveu “As meninas na Academia”. Tais crônicas, para meu envaidecimento pessoal, foram/eram publicadas ao lado dos artigos por mim subscritos também, claro, no Correio da Paraíba, e que nestes dois casos, respectivamente, corresponderam a “O que é Master?!” e “Sobre um grande homem”. Esta lembrança e reverência a Carlos Romero vêm a propósito da eleição a ocorrer na segunda feira,   dia 14, na APL, quando uma nova Diretoria será eleita, havendo a expectativa de que pela primeira vez, em seus 79 anos  de atividades, referida Academia passe a ter uma mulher como sua presidente:  a ilustre escritora Ângela Bezerra de Castro.

Vale a pena reproduzir um trecho do que dissera Carlos Romero: – “Eis a APL com cinco mulheres,  para espanto de seus  fundadores. Peguem a foto dos fundadores daquele egrégio colegiado e o   leitor verá que de saia só havia a de uma batina, justamente a do cônego Matias Freire”.

Disse ainda Carlos Romero: – “Desde já saúdo as meninas imortais que, decerto, irão enriquecer e alegrar o ambiente da Casa”. Mais: – “A presença da mulher é sempre bem-vinda. Que seria deste mundo  sem ela? E abaixo o machismo estúpido e selvagem. Merece vaia a instituição que ainda a discrimina”.

De minha parte, e em nome da Academia Paraibana de Ciência da Administração (APCA), desde já saúdo a provável próxima dirigente-mor da APL, Ângela Bezerra de Castro, augurando-lhe uma gestão auspiciosa e que sobretudo possa adotar procedimentos para que o quadro de imortais da Academia-Mãe da Paraíba venha contar com mais mulheres dentre tantas e tantas intelectuais existentes em nosso Estado, portanto melhor ajustando a atual proporção em que dos 40 ocupantes das respectivas cadeiras, só 6 estão ocupadas pelo gênero feminino.

No âmbito da APCA, que estou como presidente até o próximo dia  18, tenho atuado, também, na busca da igualdade de gênero na ocupação das cadeiras de imortais (hoje, 22 homens e 9 mulheres). E um passo importante nesse sentido é que, com 9 anos de funcionamento, já contará, a partir desse dia18, com uma presidente (administradora Luciana Rabay). Portanto, vivas e vivas para as “Mulheres na Academia”!

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.