MP investiga se prefeito de Pombal ‘furou fila’ da vacinação contra Covid

 

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) vai investigar se o prefeito de Pombal, Abmael de Sousa Lacerda, de 66 anos, mais conhecido como Doutor Verissinho (MDB), furou a fila da vacinação contra o novo coronavírus.

O promotor Leidimar Almeida Bezerra, que atua na área do patrimônio público em Pombal, disse nesta quarta-feira (20) que instaurou um inquérito para apurar o caso.

“Foi instaurada a notícia, de fato, que tem como objetivo apurar se houve desrespeito na fila para vacinação no combate ao novo coronavírus. O plano de vacinação estabelece grupos prioritários, entre os quais os profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate ao coronavírus. Então, esse procedimento vai investigar se o prefeito está enquadrado nesse grupo prioritário, já que ele é médico. Mas há a necessidade de averiguar se ele está na linha de frente no combate ao novo coronavírus”, disse o promotor em entrevista à rádio CBN.

Ainda segundo o promotor, o procedimento também vai investigar se outras pessoas que não estão no grupo prioritário tabém foram vacinadas e, a partir daí, tomar as medidas cabíveis em relação, eventualmente, ao suspoto benefício pessoal na implementação do plano de vacinação

Entenda o caso

O prefeito de Pombal, Abmael de Sousa Lacerda, foi o primeiro prefeito a ser vacinado, ontem (19) contra o novo coronavírus na Paraíba. Ele é obstetra e se valeu da condição de profissional da saúde para ter direito ao imunizante distribuído hoje pela Secretaria de Estado da Saúde para os 223 municípíos paraibanos. Apesar de sua graduação em Medicina, Doutor Verissinho não está na linha de frente no atendimento à Covid-19, mesmo exercendo a medicina ocasionalmente, já que não atua como plantonista atualmente.

O fato do prefeito ter sido vacinado nesta fase prioritária dividiu opiniões em Pombal. Enquanto parte da população criticava o prefeito por ele ter “furado fila” da imunização, houve também quem visse no gesto uma forma de incentivar os moradores a também serem vacinados, num momento em que há resistência ao processo de imunização com a Coronavac.

Verissinho disse que tem direito à vacina nesta fase prioritária porque tem contato com a população e com pacientes mesmo não trabalhando em UTI. Ele considera estar na “linha de frente da prefeitura”.

A decisão agora, se o prefeito tinha direito à vacina nessa fase, agora tá nas mãos do Ministério Público.

O município de Pombal recebeu 282 doses da vacina nesta primeira remessa.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.