Motoristas e cobradores conseguem aumento salarial de 7%

Na primeira rodada de negociação, os representantes dos Sindicatos das Empresas de Transportes Coletivos Urbanos de João Pessoa (Sintur-JP) e dos Motoristas Profissionais da Paraíba fecharam o acordo relativo à convenção coletiva 2009/2010 da categoria obreira da Capital no final da tarde de hoje.  A negociação foi realizada na Delegacia Regional do Trabalho, sob a mediação do auditor da DRT-PB, Jorge Pereira e garantiu um reajuste de 7% nos salários base da categoria e um aumento no ticket alimentação. Os aumentos passam a vigorar a partir de 1º de julho, data base da categoria.

Com os aumentos, o salário nominal do motorista passa dos atuais R$ 1.027,00 para R$ 1.100,00, enquanto o valor do ticket alimentação sobe para R$ 200,00, perfazendo uma remuneração total de R$ 1.300,00. Já o salário base dos cobradores passa dos atuais R$ 572,00 para R$ 612,00, e o ticket alimentação para R$ 130,00, totalizando um ganho mensal de R$ 725,00. O acordo também incluiu a renovação das outras cláusulas sociais da pauta de negociação e ainda trouxe um outro ganho para categoria obreira que foi a unificação do salário de motorista de microônibus e convencional. Atualmente, o salário do motorista de microônibus é R$ 924,00 e a partir 1º de julho será também de R$ 1.100,00, mais R$ 200,00 de ticket o que totaliza R$ 1.300,00.

O dirigente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivos Urbanos de João Pessoa (Sintur-JP), Alberto Nascimento, falou do compromisso do segmento patronal de transporte com o reconhecimento do trabalho dos seus empregados. “Para nós também é importante ter os nossos colaboradores satisfeitos com a sua remuneração, uma vez que reconhecemos a importância do trabalho desempenhado por eles junto aos nossos usuários no dia-a-dia”, destacou o empresário.

Para o presidente do Sindicato obreiro, Antônio de Pádua, o percentual de reajuste satisfez a categoria que não só ganhou no salário nominal, mas avançou com outras conquistas. “Este ano, tivemos um reajuste bem satisfatório, vez que repõe a inflação, além de avançarmos em outras cláusulas consideradas importantes para a categoria como foi a conquista da unificação do salário de motoristas de micro e convencional”, afirmou Pádua.

O auditor da DRT-PB, Jorge Pereira , que esteve mediando os trabalhos, elogiou a postura dos dois segmentos obreiro e patronal durante a rodada do dissídio coletivo. “Gostaria de ressaltar que esse ano nenhuma outra categoria além dessa conseguiu fechar o dissídio coletivo num clima tão amigável e dentro da realidade econômica em que vivemos, o que demonstra amadurecimento de ambos os lados”, constatou o mediador.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.