Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Moro diz que há investigações sobre uso de laranjas pelo PSL

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Após denúncias sobre uma suposta candidata laranja do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Justiça Sérgio Moro afirmou que há investigações em andamento para apurar “eventuais responsabilidades”, que serão “definidas” após as apurações.

“O senhor presidente proferiu determinação e ela está sendo cumprida. Os fatos vão ser apurados e eventuais responsabilidades após investigações vão ser definidas”, disse Moro, sem especificar que casos exatamente serão foco das apurações.

No fim de semana, o jornal Folha de S. Paulo informou que o PSL fez, três dias antes da eleição, repasses de R$ 400 mil do fundo partidário a uma candidata a deputada federal em Pernambuco que teve apenas 274 votos. Dias antes, outra reportagem apontou que o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), enviou verbas de campanha para quatro candidatas em Minas Gerais, que também podem ser laranjas.

As suspeitas geraram uma crise que envolve diretamente o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, cuja demissão foi dada como quase certa na quarta-feira (13/2). O presidente Bolsonaro mandou a Polícia Federal fazer investigações sobre as suspeitas, mas não especificou quantos inquéritos foram abertos. Nesta quinta-feira (14/2), Bebbiano disse que não se demitirá.

Pacote anticrime

Sérgio Moro esteve no Conselho de Justiça Federal nesta quinta-feira (14/02), onde afirmou que o governo deverá encaminhar na próxima semana ao Congresso o projeto de lei anticrime. O ministro disse que aguardava o retorno do presidente Bolsonaro, que passou duas semanas hospitalizado em São Paulo e voltou a Brasília nesta quarta-feira.

Durante a ausência de Bolsonaro, Moro apresentou a parlamentares e governadores a proposta elaborada por sua equipe. Alterou alguns pontos após críticas e sugestões, como a do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello. Isso permitiu que “o projeto fosse melhorado”.

O ministro defendeu propostas como a execução da pena após condenação em segunda instância e o cumprimento imediato da sentença do júri. Insistiu, também, que a proposta que amplia a possibilidade de isentar pessoas de culpa por homicídios não representa “licença para matar”.

Correio Braziliense

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Exaustão, sobrecarga… por que não reconhecemos os nossos limites?

Presidente do PT é acusado de cometer etarismo contra Luiz Couto

Incidente no Restaurante Garden: entenda o que realmente aconteceu

Anteriores

forumcabeelo (1)

Segundo réu pronunciado pelo homicídio do lutador de MMA é julgado em Cabedelo

joaoalemanha

João Azevêdo abre Fórum de Internacionalização Paraíba-Alemanha e destaca investimentos em pesquisa

Cida Ramos, deputada

Cida Ramos acredita em candidatura própria do PT e diz que está confiante

Adolescente mata os pais e a irmã

Adolescente mata os pais e a irmã em SP por ficar sem computador e celular

Barreira do Castelo Branco

Obras na barreira do Castelo Branco começam hoje e trecho da BR-230 será interditado

Luciano Cartaxo 3

Luciano Cartaxo melhora, mas segue internado em João Pessoa

Ebrahim Raisi

Presidente do Irã morre aos 63 anos em queda de helicóptero

Luciano Cartaxo e Cida Ramos

Executiva Nacional do PT adia mais uma vez decisão sobre eleições em João Pessoa

UFPB-entrada-683x388

Começam hoje inscrições para concurso da UFPB com 21 vagas e salário de até R$ 11 mil

Padre Egídio preso

Justiça realiza hoje primeira audiência de instrução de Padre Egídio e ex-diretoras do Hospital Padre Zé