Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Ministro da Educação anuncia suspensão do cronograma da Reforma do Ensino Médio

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O ministro da Educação (MEC), Camilo Santana, afirmou nesta terça-feira que o MEC publicará uma portaria para suspender o calendário da Reforma do Ensino Médio. Na prática, isso interrompe um processo de mudanças previstas para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2024. A informação foi antecipada pelo GLOBO.

— O novo ensino médio previa um novo Enem em 2024. Como há ainda processo de discussão, vamos suspender essa portaria para a partir da finalização da discussão, a gente possa tomar decisão sobre o ensino médio — disse o ministro.

A portaria que será publicada pelo MEC vai alterar outra norma editada ainda sob o governo de Jair Bolsonaro, em 2021, que fixou os prazos para implementação do modelo. A suspensão do calendário vai durar 60 dias, o prazo que ainda resta para a consulta pública sobre o novo ensino médio, aberta em março. Como a suspensão está vinculada à consulta pública, caso o mecanismo seja prorrogado, a suspensão deve seguir o mesmo prazo.

Enquanto o cronograma fica suspenso, o grupo formulado pelo MEC para discutir os rumos da reforma (que inclui representantes dos estados) vai elaborar suas contribuições para aprimorar o modelo. O ministro explicou que como as escolas já iniciaram o ano letivo, na prática aquelas que implementaram o modelo prosseguem com os trabalhos normalmente. O impacto maior será nas possíveis mudanças do Enem, que inicialmente entrariam em vigor em 2024.

— O que está suspenso é a portaria do cronograma de implementação do novo Ensino Médio, especificamente, mais o Enem. O que estamos suspendendo é qualquer avanço na implementação até que essa comissão defina, avalie, ouvindo a todos, qual será a modificação, mudança e correções que faremos no Ensino Médio — afirmou.

Desde que veio a público a possibilidade de suspensão do calendário da reforma, Camilo Santana tem sido alvo de pressão por parte de secretários estaduais de educação que defendem a manutenção da reforma. O Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) divulgou uma nota oficial nesta terça para se manifestar contrariamente à suspensão. De acordo com o Consed, a medida poderia colocar em risco o Enem do ano que vem.Nesta terça-feira, o ministro participou de uma reunião longa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o tema. O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Heleno Araújo, que defende a revogação da reforma também participou do encontro. Na ocasião, o ministro e alguns auxiliares explicaram ao presidente as críticas feitas à reforma e também quais os argumentos usados por quem defende o modelo.

Segundo interlocutores, Santana está desgastado junto à parte dos aliados do petista que apoiam a revogação da reforma devido ao que consideram demora em tomar uma decisão. Estudantes, professores e organizações do terceiro setor têm defendido que o modelo seja revisto.

– O que queremos é que tenhamos um ensino médio que possa focar na flexibilização, um modelo que possa garantir profissionalização para o jovem, que possa ter qualificação, que possa ser, no futuro, em tempo integral como diz a lei, que é nosso grande objetivo. A condução que foi errada e alguns elementos precisam ser corrigidos – afirmou Camilo Santana.

Camilo Santana afirmou que o ministério avaliou que não houve um diálogo aprofundado para a implementação da Reforma do Ensino Médio e que o MEC foi omisso nas gestões anteriores. Ele avaliou que o processo de implementação foi “atropelado” e que é preciso fortalecer o diálogo sobre o tema.

– O processo de implementação foi atropelado. Há uma reclamação muito forte por alguns setores. A decisão, até por conversa com o presidente, vamos manter o diálogo, fortalecer a comissão, vamos aprofundar o debate incluindo Congresso Nacional– afirmou.

 

 

O Globo Online

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Banco do Nordeste nomeia novo superintendente na Paraíba

Prefeito paraibano fala de “infelicidade” de ter filhos autistas e servidora acrescenta: “São doidos”

Anteriores

imagem_2024-06-25_131911480-2

Juiz suspende reunião do PSOL que decidiria pelo apoio a Cartaxo

prefeito

Opinião: Atriz atua e não substitui responsabilidade social de gestor

onibus

Ônibus colide com poste no bairro dos Bancários, em João Pessoa

concurso-policial-penal

MPPB, secretarias e sindicato deliberam sobre concurso para policial penal

banheiro

Suspeito de estuprar mulher durante festa de São João em Santa Rita é preso nesta segunda

Dinheiro muito

Prazo para 16 ganhadores do Nota Cidadã resgatarem R$ 40 mil em prêmios termina dia 20

João Almeida, foto divulgação

Ex-vereador João Almeida está internado após cirurgia cardíaca

Programa Justiça 4.0

Programa Justiça 4.0 abre 35 vagas de trabalho

INSS na Paraíba

Servidores do INSS na Paraíba entram em greve por tempo indeterminado a partir desta terça-feira

Celso Batista e Luciano Cartaxo

PSOL decide hoje se mantém pré-candidatura de Celso Batista ou apoia Luciano Cartaxo