Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Maranhão inaugura três projetos na Fundação José Américo

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

A partir de agora, o público tem mais três motivos para vistiar a Fundação Casa de José Américo, localizada na Avenida Cabo Branco, em João Pessoa. O governador José Maranhão inaugurou às 19h de hoje, mais dois ambientes no Museu Casa de José Américo: a biblioteca e a sala de multimídia. A instituição também está realizando uma série de exposições fotográficas do acervo de cerca de 3 mil fotos de José Américo de Almeida. Cada edição das exposições será composta por 30 fotos inéditas do ex-governador da Paraíba.

O governador José Maranhão visitou todos os ambientes e revelou que a vida de José Américo como político e escritor é um capítulo brilhante da história política da Paraíba. “Zé Américo conseguia impor a sua personalidade forte e genial na política e na vida literária”, ressaltou Maranhão. O governador parabenizou o trabalho realizado pela presidente da fundação, Letícia Maia, e toda sua equipe, que nos 22 meses de governo desenvolveram diversas atividades culturais.

Letícia Maia, presidente da FCJA, afirmou que de agora em diante os pesquisadores e o público em geral poderão ter acesso ao acervo fotográfico de três mil fotos digitalizadas da época em que atuou José Américo; além de visitar e pesquisar nos livros da biblioteca pessoal do ex-governador e ex-senador paraibano, com cerca de sete mil títulos, dentre eles, obras raríssimas.

O presidente da Academia Paraibana de Letras, acadêmico Juarez Farias, revelou que os três projetos lançados nesta quarta-feira é um passo importante para consolidar o papel da Fundação na Paraíba, o de guardar bem e de divulgar o acervo do político, do escritor e do homem público que foi José Américo.

A casa de José Américo foi transformada em Museu em 1982 e conserva as mesmas características de quando o escritor residia nela, com mobiliário da época, obras de arte, objetos de uso pessoal, comendas, assim como a biblioteca e o arquivo fotográfico.

Foram catalogadas mais de 1000 obras, das quais 150 obras raras. A exemplo do Dicionário de Filosofia Volumes 1 e 2, de Orris Soares; Dicionário da Língua Portuguesa Tomo 1 e 2, do século XIX (de 1877 e 1878, respectivamente); a primeira edição fac-similada de Os Lusíadas, de Camões (século XVI) e de Dom Quixote (século XVII); a primeira edição de Elementos da Bibliofilia, de Antônio Houaiss; e um incunábulo – obra do tempo da invenção da imprensa – que cobre o período da Bíblia de 1453 a 1499.

Na sala de multimídia, os visitantes poderão assistir vários vídeos referentes à vida e obra de José Américo, além do filme “O Homem de Areia”, do cineasta paraibano Wladimir de Carvalho, com entrevistas ao vivo do escritor e ainda uma coleção de vídeos sobre a cultura nordestina.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Banco do Nordeste nomeia novo superintendente na Paraíba

Prefeito paraibano fala de “infelicidade” de ter filhos autistas e servidora acrescenta: “São doidos”

Anteriores

imagem_2024-06-25_131911480-2

Juiz suspende reunião do PSOL que decidiria pelo apoio a Cartaxo

prefeito

Opinião: Atriz atua e não substitui responsabilidade social de gestor

onibus

Ônibus colide com poste no bairro dos Bancários, em João Pessoa

concurso-policial-penal

MPPB, secretarias e sindicato deliberam sobre concurso para policial penal

banheiro

Suspeito de estuprar mulher durante festa de São João em Santa Rita é preso nesta segunda

Dinheiro muito

Prazo para 16 ganhadores do Nota Cidadã resgatarem R$ 40 mil em prêmios termina dia 20

João Almeida, foto divulgação

Ex-vereador João Almeida está internado após cirurgia cardíaca

Programa Justiça 4.0

Programa Justiça 4.0 abre 35 vagas de trabalho

INSS na Paraíba

Servidores do INSS na Paraíba entram em greve por tempo indeterminado a partir desta terça-feira

Celso Batista e Luciano Cartaxo

PSOL decide hoje se mantém pré-candidatura de Celso Batista ou apoia Luciano Cartaxo