Manoel Júnior comenta acusação de crime e diz ser vítima de armação

O deputado federal Manoel Júnior (PMDB) comentou hoje no Rádio Verdade da Arapuan FM a denúncia feita no dia anterior pelo primo de Manoel Mattos, Absom, a respeito de seu suposto envolvimento na morte de um vereador de Pedras de Fogo no ano 2000. Manoel confirmou a informação repassada pelo Parlamentopb de que procurou o ministro da Justiça e a Polícia Federal para pedir a apuração do fato.

– Quem faz a oposição a estes que estão no poder hoje e que acham que podem comprar tudo, tem que estar preparado para qualquer tipo de armação. A Paraíba conhece minha história como médico, cirurgião, fui prefeito de Pedras de Fogo, deputado estadual, o segundo mais votado, sem comprar votos, tive uma passagem pela vice-prefeitura de João Pessoa e hoje tenho meu segundo mandato de deputado federal. Esse fato não me surpreendeu porque o modus operandi é o mesmo. São as mesmas pessoas que se envolveram na estória mal contada do reveillon, na adulteração da ata do PSB, o arrombamento do diretório do partido, num suposto atentado a secretário de João Pessoa… coisas mal esclarecidas. Essas pessoas são capazes de tudo e até de botar alguém que não conheço para denunciar que eu mandei matar um vereador pagando R$ 40 mil. O valor é muito sugestivo: 40. Ontem, eu procurei o ministro da Justiça e a Polícia Federal. Quero não apenas isso investigado, mas quero saber com quem esse cidadão se relacionou nas últimas horas e dias porque vamos diagnosticar a quem ele estava a serviço. A denúncia é extremamente grave. Sou um homem que salvou muitas vidas como cirurgião.

Manoel acusou seus adversários de tentar manipular a imprensa para prejudicar sua pré-candidatura a prefeito de João Pessoa:

– Dia 17 vamos fazer a primeira audiência pública no Jardim Planalto para procurar uma saída diferente da que existe. A Paraíba está vivendo uma ditadura absurda, comparada à Líbia, Arábia Saudita, Iraque e ao Chile, recentemente. Mas, não vamos nos intimidar com isso.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.