Luciano Agra diz que não pedirá apoio a Cássio para reeleição

O prefeito de João Pessoa Luciano Agra (PSB) afirmou, ontem, em entrevista ao programa Correio Debate (Correio SAT), que não pedirá apoio ao senador Cássio Cunha Lima (PSDB), em sua candidatura à reeleição. Segundo ele, Cássio firmou um pacto com Ricardo Coutinho e com o PSB nas eleições de 2010 e que ele sabe “para onde os ventos estão soprando”, mas respeitará sua decisão.

“Converso com Cássio como amigo. Não vou pedir apoio porque Cássio é uma liderança que sabe para onde os ventos estão soprando. Ele sabe a renovação que está acontecendo. Ele firmou um pacto com Ricardo Coutinho, com nosso partido, de aliança. E a gente espera de um cidadão como este, um gesto nobre, que possa até vir a nos surpreender”, declarou.

No entanto, segundo ele, é compreensível que este apoio pode não ocorrer, dado o fato de que o senador Cícero Lucena (PSDB) também é um pré-candidato nas eleições municipais. “é preciso entender que ele é do PSDB. Que o candidato do partido ou pretenso candidato, se ele conseguir se livrar das malhas da lei, também deu a oportunidade a Cássio de ser candidato. Mas quem deu uma grande e valiosa contribuição à eleição de Cássio fomos nós e temos todo um respeito e amizade”, afirmou.

Reforma do secretariado – O prefeito Luciano Agra também falou sobre as necessidades de reforma no secretariado, já que alguns dos atuais auxiliares irão se candidatar nas eleições e sobre a sua preparação para concorrer. “Tudo tem que ser feito desde que não me afaste das responsabilidades e compromissos da gestão. Quanto à equipe para começar a pensar o planejamento e primeiros passos para o plano de Governo, isso já está instalado”, disse.

A desincompatibilização de seus auxiliares, Agra afirmou que estuda fazer em uma ou duas ocasiões. “Temos os prazos de desincompatibilização dos auxiliares que vão para o embate disputar cargos eletivos. A minha pretensão é, como já aconteceu antes, continuar a gestão e nas horas possíveis, de folga, fazer a nossa militância política que sempre fizemos, dentro das normas e dos rigores da lei”, afirmou.

Gestão é independente – Luciano Agra garantiu que sua gestão é independente do governador Ricardo Coutinho e que as semelhanças ou continuidade de obras e projetos se dá por afinidade e projeto de governo do partido, do qual ele e o governador Ricardo Coutinho fazem parte.

“Antes de ser prefeito ou como vice e secretário, eu já tinha independência para atuar de forma até além das minhas atribuições. Quando eu era secretário de planejamento da cidade, tínhamos um vice-prefeito (o deputado estadual Manoel Júnior – PMDB) que não trabalhava e eu tive que preencher aquele vazio que ficou ali junto ao gabinete do prefeito e isso acontece quando você tem a confiança”, afirmou.

Ele disse ainda que Ricardo Coutinho sempre lhe deu liberdade quando era prefeito e que não tinha restrições. Além disso, Agra disse que a sua gestão também conta com a participação de outras legendas. “O projeto tem muitos ingredientes que vem do PT. Vem contribuições também do PSDB. Nós trabalhamos com conceitos consagrados, testados e associamos com aqueles do nosso partido. Já introduzi muita coisa”, disse.

Luciano Agra disse ainda que quanto à questão da independência de sua gestão, a Prefeitura Municipal de João Pessoa tem possibilidade de chegar financeiramente, dentro de até 20 anos, ao patamar do Governo do Estado. “A prefeitura tem solidez, estabilidade e força do ponto de vista econômico-financeiro, que daqui a dez ou vinte anos estará em pé de igualdade com o governo do Estado. Me sinto completamente independente, mas eu tenho as minhas afinidades, minha disciplina partidária”.

População satisfeita – Luciano Agra afirmou que a oposição está tentando, desde o resultado das eleições de 2010, criminalizar a sua gestão, mas mesmo assim, a população está se mostrando satisfeita com a sua forma de governar a cidade.

“Se deflagrou uma estratégia para criminalizar o governo. Começaram a querer me fragilizar. Mas vocês acham que se aquela estratégia estivesse dando certo não teríamos tido uma rejeição tão baixa? Nosso governo vem mantendo uma aceitação desde 2005 bastante satisfatória”.

Segundo ele, através das denúncias criadas pela oposição, estão tentando desestabilizar sua gestão através de ataques aos secretários. “Não vou sair eliminando meus auxiliares por conta dessa estratégia engendrada e que está agora entrando em um outro momento, que o foco sai um pouco do governo municipal e agora já é o governo Estadual”, disse.

O prefeito falou ainda que o terceiro mandato nas mãos dos socialistas na Capital, não é “nada extraordinário”. “Essa possibilidade de reeleição no Brasil fatalmente permite este tipo de acumulação de anos. Isso já aconteceu aqui. O que eu digo de forma tranquila é que nós estamos com um projeto em construção, em que a população está percebendo que ele pode e deve ser aperfeiçoado, ampliado, estendido e ter uma sobrevida mais longa”.

Ele disse que seus projetos para as eleições são os projetos estruturantes como o de transportes e o PAC II, além da modernização administrativa, a recuperação do Rio Jaguaribe, auxílio às pessoas que sofrem com inundações e os projetos da educação e saúde.


Correio da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.