LOA 2019 é debatida durante audiência pública na Câmara de Cabedelo

A Câmara Municipal de Cabedelo realizou na noite desta segunda-feira (12) a primeira Audiência Pública que discutiu os orçamentos previstos na Lei de Orçamentária Anual para o ano de 2019. Nesta audiência os orçamentos das pastas discutidas foram da Educação, Cultura, Esportes, Comunicação, Turismo e Administração, mas apenas o secretário de finança e a secretária de educação estiveram presentes na Audiência Pública.

“A Comissão este ano inova e traz 3 audiências públicas, são 3 oportunidades de participar da discussão sobre o orçamento de 2019 para Cabedelo. A ideia é escutar o povo para que a gente possa melhorar a LOA” – Herlon Cabral, presidente da Comissão Especial.

A peça orçamentária de 2019 traz uma novidade anunciada pelo secretário de finanças Nicodemus de Lima Trindade. Cada um dos 15 vereadores tem na peça orçamentária uma emenda impositiva no valor de 100 mil reais por ano. Todas as Emendas devem ser compatíveis com o plano plurianual e com a lei de diretrizes orçamentárias. “O dinheiro do município é do município. Por isso que temos essa discussão e abrimos o espaço para que a sociedade que não se contentar com o orçamento apresentado tem a oportunidade de solicitar os vereadores as mudanças através dos aditivos”, disse Nicodemus.

A presidente da Câmara, Geusa Ribeiro, ao término da audiência fez um balanço positivo e foi categórica ao afirmar que pela primeira vez a Câmara não é mais omissa e escuta a população de Cabedelo. Ela lembrou que desde o início da sua gestão preza pela transparência, por isso as sessões ordinárias, as especiais, as audiências públicas são transmitidas pelas mídias sociais da Câmara.

Na audiência pública os moradores de cabedelo aproveitaram a oportunidade para criticar investimentos não aprovados por eles. Tadeu Patricio, ativista cultural, solicitou que o prefeito reavalie suas propostas e trabalhos na área e denunciou que há servidores com salários de quase 12 mil reais, servindo de cabide de emprego, através de uma folha de mais de 150 mil reais, com 45 funcionários. Ele disse ainda que a secretaria de cultura serve na atual gestão apenas para os eventos da prefeitura.

Comentários