Livro registra perfis dos 66 senadores da Paraíba em 193 anos do Senado

Você sabe em que ano o Senado brasileiro foi fundado? Ou quantos senadores representaram a Paraíba em quase duzentos anos da mais importante Casa Legislativa do País? Respostas a essas perguntas, fatos históricos como o único senador paraibano a presidir o Congresso Nacional e o único a chegar à Presidência da República, além de curiosidades, constam do livro “Senadores da Paraíba – 1826-2026” de autoria do jornalista e memorialista Josélio Carneiro, obra em fase de conclusão.

Com Apresentação assinada pelo senador Veneziano Vital do Rêgo, a obra destaca os senadores que se tornaram governadores da Paraíba e os que fizeram o caminho inverso, foram eleitos senadores enquanto eram governadores ou depois de deixarem o Palácio da Redenção.

“De leitura fácil e pesquisa dinâmica, “Senadores da Paraíba – 1826-2026” proporciona uma formidável viagem no tempo para os jovens e uma releitura diferenciada aos que tiveram a oportunidade de conviver com as histórias aqui relatadas”, afirma o senador Veneziano em seu texto de Apresentação da obra.

O livro traz ainda os senadores que assumiram Ministérios, antes ou depois do Senado; senadores jornalistas, militares, juristas. A pesquisa inclui entrevista com a senadora Daniella Ribeiro, primeira mulher paraibana eleita no Estado. Registra ainda o senador recordista de mandatos que atuou na chamada Câmara Alta por 32 anos. Destaca também a atuação do senador José Maranhão e do senador Veneziano, um capítulo especial com os três senadores em exercício do mandato.

O Senado Federal do Brasil, fundado em 6 de maio de 1826, completou nesse mês 193 anos de atuação. O sétimo livro de Josélio Carneiro registra os 66 senadores eleitos pela Paraíba desde o Império até os dias atuais, incluídos aí os suplentes que assumiram o mandato por algum tempo. Uns poucos senadores não nasceram na Paraíba.

O leitor fará uma viagem da 1ª Legislatura do Senado com início em 1826 até a atual, 56ª, iniciada em fevereiro de 2019 e que será concluída em 2023 quando se encerra o mandato do senador José Maranhão (MDB), ele que é senador desde 2015 e que já teve mandatos anteriores no Senado. Os senadores eleitos em 2018, Veneziano Vital do Rêgo (PSB) e Daniella Ribeiro (Progressistas), têm mandato até janeiro de 2026, quando será concluída a 57ª Legislatura do Senado Federal.

De um total de 66 políticos que atuaram no Senado, incluindo alguns suplentes, 17 deles governaram a Paraíba, antes ou depois do mandato de senador da República. No caso do senador que se elege governador há nitidamente a força da liderança política que muito contribui para a vitória numa eleição para o governo do estado. Há casos de pai e filho que tanto foram senadores como assumiram o cargo de governador do estado. Um fato histórico e excepcional foi a eleição do senador Epitácio Pessoa para a Presidência da República em 1922. Aliás, foi esse paraibano nascido em Umbuzeiro quem inaugurou a primeira transmissão de rádio no país. Já Humberto Lucena até aqui é o único paraibano que presidiu o Congresso Nacional. Os irmãos Vital do Rêgo Filho e Veneziano Vital conquistaram vaga no Senado, além de Ronaldo Cunha Lima e Cássio Cunha Lima, pai e filho, eleitos senadores depois de governarem a Paraíba.

“Registramos ainda os senadores paraibanos que por mais tempo atuaram no Senado. O recorde é de Antonio da Cunha Vasconcelos. Foi senador por 32 anos entre 1836 e 1868. Participou de 11 legislaturas. O primeiro senador nascido na Paraíba”, diz o autor.

As cidades de Campina Grande, João Pessoa, Areia e Mamanguape são as campeãs em filhos representantes no Senado Federal. Até aqui se tornaram senadores, paraibanos de 25 cidades de nosso estado, além de alguns nascidos nos estados de Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Maranhão. Os dois primeiros senadores pela Paraíba não eram paraibanos.  Estevão José Carneiro da Cunha nasceu em Recife e José Severiano Maciel da Costa, o Marquês de Queluz, era mineiro de Mariana. Senadores nas primeira e segunda legislaturas – 1826 a 1833.

Do Palácio da Redenção para o Senado – Dos 17 políticos que conquistaram a cadeira no Palácio da Redenção, 10 deles se elegeram senadores após o cargo de governador: Álvaro Lopes Machado, Alfredo da Gama e Melo, Monsenhor Walfredo Leal, Venâncio Neiva, Argemiro de Figueiredo, Rui Carneiro, Ronaldo Cunha Lima, José Maranhão, Cícero Lucena e Cássio Cunha Lima.

“A obra objetiva registrar os perfis, tópicos da trajetória dos senadores paraibanos. O livro é mais uma reportagem que visa contribuir com o conhecimento das novas e futuras gerações, além de proporcionar uma releitura aos que têm um pouco mais de vivência ou acompanhamento da política na Paraíba”, conclui Josélio Carneiro.

No ano 2000 o Senado Federal publicou os dados biográficos dos senadores por Estado. Nessa obra 11 senadores e suplentes paraibanos não foram citados. O livro “Senadores da Paraíba” repara essa omissão e inclui os outros 11 senadores paraibanos das eleições seguintes até o pleito de 2018 com a eleição de Daniella Ribeiro e Veneziano Vital do Rêgo.

Em 2016 Josélio publicou o livro “Paraíba Governos em Cena”, com lançamento no Palácio da Redenção e pretende lançar o livro dos senadores também na sede do Governo paraibano. O título pode até mudar para “Paraíba Senadores em Cena”, destaca.

Livro registra perfis dos 66 senadores da Paraíba em 193 anos do Senado

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.