Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Lindolfo convoca Weick, Edísio e Sindifisco para esclarecer Caso do Moinho

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O deputado Lindolfo Pires (DEM), primeiro secretário da Assembleia Legislativa, declarou hoje que permanecem dúvidas sobre o caso reclamado pelo Sindifisco, segundo o qual a Procuradoria Geral do Estado teria invadido as atribuições do Fisco ao anular um auto de infração imposto ao Moinho Dias Branco. Ao mesmo tempo em que trata o episódio como "escândalo", Lindolfo diz que o ex-procurador geral do Estado e atual secretário de Governo, Marcelo Weick, ameaçou causar um prejuizo de R$ 12,5 milhões aos cofres do Estado,.
 
Para o deputado de oposição, o assunto não está suficientemente explicado e o processo é "nebuloso e cheio de suspeitas". "Exatamente por isso, estamos convocando os principais envolvidos nesse processo, entre denunciantes e denunciados", anunciou Lindolfo.

Através do requerimento 11.864/2009, Lindolfo Pires, Lindofo Pires está convocando o secretário de Governo, Marcelo Weick; o presidente do Sindicato dos Agentes e Auditores Fiscais do Estado da Paraíba – Sindifisco,  Manoel Izidro, o consultor jurídico do governador, advogado Assis Almeida, e o procurador geral do Estado, Edísio Souto.

Em sua justificativa, o deputado do DEM observa que o arquivamento de processo administrativo fiscal (em grau de recurso) só veio à tona por conta da vigilante ação do Sindifisco, que teve respaldo técnico de parecer do consultor jurídico do governador, Assis Almeida, sobre o caso. Lindolfo Pires está solicitando, também, cópia do parecer emitido pela Consultoria Jurídica de Maranhão sobre o caso.

Observando que a denúncia que orbita a esfera administrativa estadual, se confirmada, é gravosa às finanças do Estado e caracterizaria em crime contra a administração pública e ao povo paraibano, Lindolfo Pires destaca que a convocação dos agentes políticos à Assembleia contribuirá para a elucidação dos fatos, já que a Casa é o foro qualificado para os debates e esclarecimentos de casos que importem repercussão, sobretudo quando se trata de denúncias sobre desvios de procedimentos legais que os agentes estatais deveriam ter como regra de seu agir.

Legalidade – O advogado Marcelo Weick concedeu entrevista ontem e apresentou documentos que afirmam a legalidade de seu ato. Clique aqui para ler o que o ex-procurador geral do Estado falou sobre o episódio do Moinho Dias Branco.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Exaustão, sobrecarga… por que não reconhecemos os nossos limites?

Presidente do PT é acusado de cometer etarismo contra Luiz Couto

Incidente no Restaurante Garden: entenda o que realmente aconteceu

Anteriores

5g1

Anatel libera ativação de internet 5G para novos municípios da Paraíba

saloario50ab

João Azevêdo anuncia pagamento da primeira parcela do 13º e o salário de maio

joaobelga

Paraíba terá Centro de Distribuição e fábrica de esquadrias de PVC de empresa da Bélgica

Artêmio Picanço, advogado

Advogado considera “surreal” decisão da Justiça da Argentina pela prisão domiciliar de Antônio Neto; veja

Igreja Matriz de Monteiro

Polícia procura mulher suspeita de furtar dinheiro de ofertas da Igreja Matriz, de Monteiro

PF Operação Rescue

Operação da PF prende homem por armazenar imagens de abuso sexual de crianças

Concurso, freepik 1

MP recomenda retificação de edital do concurso para Guarda Civil de Santa Rita

PF operação Pombo, Objetos encontrados em casa de funcionários dos correios

PF investiga desvio de encomendas dos Correios e apreende objetos em casa de servidor

João Pessoa linda demais, secom pb

João Pessoa é destaque entre os Top 10 Destinos de Viagem para o mês de julho

Fábio Andrade, procurador-geral do Estado

Estado aprova lista de acordos diretos de precatórios com 593 propostas e R$ 78 milhões