Justiça manda suspender assembleia geral da Unimed-JP

A juíza Magnogledes Ribeiro atendeu ao pedido dos advogados Agostinho Ribeiro e Paulo Guedes e decidiu conceder uma medida cautelar para suspender a Assembleia Geral Ordinária (AGO) da Unimed João Pessoa, programada para acontecer hoje de manhã na Blunelle Recepções, no Bairro dos Estados. A ação foi impetrada em nome dos médicos Walter Ramalho, Tânia Menezes e Azuil Vieira, alegando a existência de irregularidades contábeis e financeiras na cooperativa médica.

A Unimed João Pessoa não teria apresentado o resultado de uma auditoria externa realizada nas contas da cooperativa e nem disponibilizado, de maneira anterior à assembleia, dados sobre sua situação financeira.

A Diretoria Executiva da Unimed pretendia realizar a primeira chamada da AGO às 6h30; a segunda, às 7h30; e a terceira, às 8h30, quando os trabalhos seriam iniciados com, no mínimo, dez cooperados em condições de voto.

A pauta da AGO incluia seis pontos. Entre eles, estavam a apreciação do relatório de atividades, o balanço geral e o demonstrativo de sobras e perdas, acompanhados dos pareceres da auditoria independente e do Conselho Fiscal da Unimed JP; a apresentação do plano de trabalho para 2011; e a eleição do Conselho Fiscal para o exercício deste ano.

Após serem discutidos os quatro pontos iniciais programados, a AGO 2011 incluiria a realização da votação para eleger os cooperados que farão parte do Conselho Fiscal da Unimed JP, durante o exercício 2011.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.