Juiz recebe denúncia e Livânia, Gilberto, Coriolano e mais 6 se tornam réus na Calvário

O juiz da 4ª Vara Criminal de João Pessoa, José Guedes Cavalcanti Neto, aceitou a denúncia oferecida pelo Ministério Público contra nove acusados de corrupção no âmbito da Operação Calvário. São, a partir de agora, réus, o advogado Bernardo Vidal; o ex-procurador geral do Estado, Gilberto Carneiro; a ex-secretária de Administração do Estado, Livânia Farias; a superintendente do IASS, Laura Farias; o ex-superintendente da Emlur e irmão do ex-governador Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho ; o ex-secretário Executivo de Segurança Pública, Raymundo José Araújo Silvany; ex-secretária de Finanças do Estado, Aracilba Alves da Rocha; além do secretário de Comunicação do Estado, Raimundo Nonato Costa Bandeira; e o ex-procurador geral de João Pessoa, José Vandalberto de Carvalho.

Na decisão do magistrado, ele entende que a acusação oferece indícios de autoria, “não havendo motivo que autorize sua rejeição”.

De acordo com a denúncia, Bernardo Vidal, dono de um escritório de advocacia em Pernambuco teria firmado um contrato com a prefeitura de João Pessoa entre os anos de 2009 e 2012 através da influência de Gilberto Carneiro para desviar dinheiro da gestão através de uma consultoria que supostamente iria recuperar créditos tributários para a prefeitura. Os honorários eram pagos de acordo com a quantia envolvida no processo de recuperação, independente de haver sucesso ou não na ação, que nunca prosperava. Bernardo, Gilberto e mais Livânia, Coriolano e Laura seriam beneficiários de um esquema de propina, enquanto Aracilba, Silvany, Nonato e Vandalberto teriam agido para ocultar ou destruir provas.

Nove pessoas são denunciadas pelo Gaeco por desvio de R$ 49 milhões da Prefeitura da capital

Juiz recebe denúncia e Livânia, Gilberto, Coriolano e mais 6 se tornam réus na Calvário

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.