João Azevêdo quer fechamento de bares, restaurantes, praias e igrejas por 15 dias

 

O governador João Azevêdo defendeu na manhã desta segunda-feira (22) a adoção de medidas mais restritivas para barrar o colapso na rede de saúde pública e privada por conta dos novos números de infectados com a covid-19. O governador defende o fechamento de bares e restaurantes (que funcionarão com delivery), proibição de acesso às praias, suspensão de eventos e também de celebrações religiosas.

Ele disse que existe o risco real de um colapso na rede de atendimento à saúde e isso requer medidas mais duras.

As restrições devem durar 15 dias para reduzir a pressão sobre o sistema.

“Não temos opção. Os dados são reais e precisam de providências que serão tomadas. Não há tempo para conjecturas. A rede pública e privada estão em risco de superlotação. Nós tivemos há algumas semanas a condição de receber pacientes de Manaus, mas agora não há mais condição de atender porque temos o risco de colapso na rede”, declarou o governador.

Reunião definirá ações de enfrentamento

O governador João Azevêdo se reúne, hoje, com os representantes da Secretaria de Estado da Saúde e de diversos órgãos do setor sanitário do Estado, bem como da Procuradoria Geral do Estado, para definir ações de enfrentamento da pandemia, a fim de conter o avanço da Covid-19 na Paraíba.

Segundo o Conselho Regional de Medicina na Paraíba (CRM-PB), o número de leitos de UTI para tratamento de pacientes com o novo coronavírus ocupados na Grande João Pessoa já é de 90%.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.