João Azevedo condena retaliação de Bolsonaro à Paraíba e ao Maranhão

O presidente Jair Bolsonaro atacou duramente o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), antes de uma coletiva de imprensa com jornalistas na manhã desta sexta-feira 19. “Desses governadores, de Paraíba… O pior é o do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”, disse Bolsonaro ao ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, em áudio vazado. Pelo que se deduz, a intenção do presidente era se referir ao Nordeste quando usou o termo “Paraíba”. Há quem pense, contudo, que ele quis se referir ao governador João Azevedo, do PSB.

O áudio foi capturado por um dos microfones da mesa do café da manhã antes de começar o evento. Bolsonaro não percebeu que o que dizia estava sendo transmitido por vídeo.

Flávio Dino comentou a frase de Bolsonaro em suas redes sociais. “Independentemente de suas opiniões pessoais, o presidente da República não pode determinar perseguição contra um ente da Federação”, publicou Flávio Dino em seu Twitter. “Seja o Maranhão ou a Paraíba ou qualquer outro Estado. “Não tem que ter nada para esse cara” é uma orientação administrativa gravemente ilegal”, afirmou.

João Azevedo também comentou a declaração em seu perfil no Twitter:

Neste mesmo encontro com os jornalistas, o presidente disse que é mentira que pessoas passem fome no Brasil, além de ter atacado a jornalista Miriam Leitão, ao dizer que ela não chegara a ser torturada na época da ditadura.

João Azevedo condena retaliação de Bolsonaro à Paraíba e ao Maranhão

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.