Isolado, Lindberg rompe com a direção nacional do PT

Autodeclarado candidato do PT ao governo do Estado do Rio em 2010, o prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias, 40, anunciou o rompimento com a direção nacional do partido.

"A direção nacional do PT passou do ponto. Depois de ontem [anteontem], interrompemos qualquer possibilidade de chegarmos a um consenso", afirmou Lindberg à Folha.

Ele se referia à visita ao Rio do presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini (SP), que anteontem deu entrevista na sede estadual com o deputado federal Luiz Sérgio (RJ), candidato à presidência do diretório.

"Eles vieram aqui para nos esmagar. Telefonaram para militantes, para todos os deputados. Havia gente importante do partido atuando de forma quase desesperada. Vieram de um jeito que consolidou a ideia da candidatura própria. Aqui é a resistência heroica", disse.

Luiz Sérgio disputa a eleição contra o vice-presidente estadual, Lourival Casula, apoiado por Lindberg e favorável à candidatura própria à sucessão do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB). Alinhado com Lula e a provável candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, Luiz Sérgio defende o apoio à reeleição do peemedebista.

É o segundo turno da eleição. Do primeiro participaram cinco candidatos. Luiz Sérgio teve cerca de 40% dos votos, contra 25% de Casula. Só que Bismarck Alcântara, terceiro colocado, com 23%, e o quinto, André Taffarel (3%), agora apoiam Casula. Com Luiz Sérgio, só Waldeck Carneiro (9%).

Para Lindberg, "a atitude da direção nacional" na eleição fluminense foi equivocada. "Aumentaram as tensões."

Berzoini disse que teve várias conversas com Lindberg sobre a desistência de ser candidato do PT, sem sucesso.

Ontem, Cabral disse acreditar que Lindberg cederá à pressão do PT e desistirá de concorrer ao governo. "Ele tem um pleito justo, é prefeito, tem as aspirações dele. Mas, para o partido, ele tem direito a essas aspirações em outro momento."

Segundo Cabral, o PT está costurando a candidatura de Lindberg ao senado. "Pelo que sei, Benedita [da Silva, do PT] tem aspirações ao Senado, e ele passaria a desejar isso. Mas é uma decisão do PT em que não devemos nos meter. O que desejo é o PT no primeiro turno apoiando nossa candidatura". Benedita é secretária de Direitos Humanos em seu governo.

Cabral diz que não atuará para tentar convencer Lindberg a desistir de seus objetivos e integrar o bloco de apoio do PT à sua reeleição. "Não há nada ao meu alcance que possa ser feito. Posso torcer para o Luiz Sérgio ganhar."

 


Folha Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.