Internet já chega a 26,4% dos domicílios paraibanos

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje os dados coletados na Paraíba pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) e atestou que em três anos, o percentual de paraibanos de 10 anos ou mais que acessaram ao menos uma vez a internet pelo computador passou de 12,4% para 26,4% das pessoas nessa faixa etária, ou 835 mil usuários, em 2008. No mesmo período, a proporção dos que tinham telefone celular para uso pessoal passou de 26,2% para 45,3% da população de dez anos ou mais, sendo que, para 45,3% dessas pessoas (ou cerca de 1,4 milhões de paraibanos), o celular era o único telefone para uso pessoal.

Em relação às Unidades da Federação, o Distrito Federal destacou-se como o que apresentou o maior percentual de pessoas que acessaram a internet: 56,1%. O estado com o segundo maior percentual foi São Paulo, com 43,9%, ou 12,2 pontos percentuais abaixo do primeiro colocado. O estado com o menor percentual de acesso foi Alagoas, com 17,8%. A Paraíba superou 5 Estados do Nordeste em acesso à internet. Em relação a 2005, todas as Unidades da Federação registraram aumento significativo.

Mudança de hábitos – Nos domicílios paraibanos, se presencia a mudança de hábitos das famílias quando o assunto é comunicação. Antes o rádio era bem mais presente do que televisão, somente acessível a classes de renda com maiores poderes aquisitivos. Hoje, segundo a pesquisa, há maior presença de televisores (95,5%), do que rádio (86,0%). Em 170 mil domicílios já tinham computadores, destes 132 mil com acesso à internet.

Interatividade – Considerando o sexo, homens e mulheres acessaram a internet mais do que o registrado em 2005. Em 2008, a finalidade do acesso com maior número de declarações foi a comunicação com outras pessoas (84,8%), seguidos por acesso para atividades de lazer e educação (70,2%). A leitura de jornais e revistas também foi um motivo citado por 39,9%. A pesquisa revela que as pessoas que usaram a internet para realizar transações bancárias ou financeiras foi de 14,8% e apresentaram o maior nível de instrução e, para lazer o menor número médio de anos de estudos.

Lan houses – A pesquisa divulgada pelo IBGE também mostrou que as lan houses são os lugares de onde mais se acessa a rede mundial de computadores. Das 835 mil pessoas que acessaram a internet na Paraíba, o fizeram de mais de um local, sendo que o mais citado foi o centro público de acesso pago ou lan house (56,0%), seguido pela própria casa (36,5% dos que acessaram). Outros acesso feitos foram em locais de trabalho ( 23,5%) e, em estabelecimentos de ensino ( 12,1%).

Offline – Segundo a pesquisa, 2,3 milhões de pessoas com 10 anos ou mais não utilizaram a internet nos três meses anteriores à data da entrevista, ou seja, 73,6% do total. Os motivos de não utilização foram concentrados praticamente em três: não achavam necessário ou não queriam ( 24,4%); não sabiam utilizar a Internet ( 53,2%) e não tinham acesso a microcomputador (17,0%).

Celular – Em 2008, a partir da PNAD se estimou que (45,3%) da população de 10 anos ou mais, ou seja, cerca de 1,4 milhões de pessoas, tinham telefone celular para uso pessoal. Há três anos a pesquisa mostrou que pouco mais de 26,2% dos paraibanos nesta faixa etária tinham celular.

O percentual de homens que tinham telefone celular para uso pessoal, no Estado, continuou sendo maior que o de mulheres. O celular tem a característica de poder ser adquirido e mantido a custos acessíveis por parcela expressiva da população, dada, principalmente, pelas duas formas de apresentação no Brasil: planos pré-pago e pós-pago; sendo que a primeira, devido a sua característica, permite, cada vez mais, que um grupo maior de pessoas faça uso deste bem.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.