Vídeo de rapazes dançando leva MBL e Frente da Educação a escola em Mangabeira

Integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) e da Frente Parlamentar da Educação estiveram na manhã desta quarta-feira (21) na escola Pastor João Filho, em Mangabeira, uma semana após um vídeo viralizar nas redes sociais onde dois rapazes aparecem dançando no pátio da escola.

Segundo o diretor da escola, Helton Fernandes de Paula, os integrantes do MBL foram na escola por conta do vídeo,  que gerou, inclusive, críticas de parlamentares na Câmara Municipal de João Pessoa, como a vereadora Eliza Virgínia, Carlão e Bruno Farias. Eliza também fez críticas em seu perfil no Instagram (Veja abaixo).

Helton disse que a interpretação ocorreu em cima de apenas um pedaço, feito exatamente sobre o vídeo, que foi gravado durante o intervalo.

O diretor explicou que durante dois dias foram realizados eventos na escola para trabalhar questões como respeito, homofobia e discriminação em geral.

Integrantes da Frente Parlamentar da Educação, segundo o vereador Carlão já tinha feito visita anteriormente à escola, onde foram conversar com o diretor e a coordenadora pedagógica. Participaram dessa visita os vereadores Eliza Virgínia, Damásio Franca Neto e Bruno Farias.

Carlão questionou a fala de uma conselheira tutelar. Durante a semana da diversidade foi utilizada a fala de uma conselheira tutelar e essa conselheira
de certa forma atinge diretamente o movimento político estudantil, onde o grêmio estudantil, ela supôs que seria do MBL.

Segundo o parlamentar, o MBL se sentiu de certa forma atingido. “E a gente tem que considerar o Movimento Brasil Livre porque esse movimento hoje está trazendo uma mudança na política nacional”, frisou.

Ele disse que o MBL esteve na escola hoje para dialogar. “Foram lá entender o porque estava sendo usando o ambiente escolar contrário ao Movimento Brasil Livre.

 

Vídeo de rapazes dançando leva MBL e Frente da Educação a escola em Mangabeira

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.