Frei Anastácio diz que é hora do Congresso começar a analisar impeachment de Bolsonaro

O deputado federal Frei Anastácio (PT/ PB) repudiou o pronunciamento feito ontem, pelo presidente da República, em cadeia nacional, criticando o confinamento e a imprensa, diante da pandemia do Coronavírus. O parlamentar disse que é hora do Congresso analisar os pedidos de impeachment do presidente.

“O Brasil não merece continuar com um presidente que não tem respeito pelo seu povo. A Câmara Federal já está com 17 pedidos de impeachment de Bolsonaro. Se o Congresso quiser ver o Brasil caminhar, tem que colocar esses pedidos de impedimentos para tramitar e serem votados”, afirmou.

Frei Anastácio disse que de forma irresponsável, Bolsonaro utilizou uma rede nacional de comunicação para colocar a nação brasileira em perigo.

“Ao dizer que as escolas devem reabrir e que tudo volte ao normal, Bolsonaro está jogando o povo para a morte. Ele vai de desencontro a todas as recomendações da Organização Mundial da Saúde. Desqualifica todo trabalho que o Ministério da Saúde vem fazendo de forma responsável”, destacou.

O parlamentar acrescentou que, de maneira debochada, Bolsonaro declarou morte ao povo brasileiro, principalmente aos idosos. “O que Bolsonaro fez ontem, é mais um crime de responsabilidade contra a nação brasileira. É uma falta de respeito à vida do povo brasileiro e ao resto do mundo. Enquanto o planeta chora os seus mortos, Bolsonaro chama o coronavírus de gripezinha e resfriadinho”, criticou.

Crítica à imprensa

O parlamentar também criticou Bolsonaro por ele ter tentado desqualificar o trabalho da imprensa.

“Bolsonaro segue na mesma linha da campanha, com a teoria de conspiração e perseguição contra ele. É a forma que ele encontrou para alimentar seus seguidores nas redes sociais. Ele está mais preocupado em receber esse apoio, que caiu muito nos últimos meses, do que em governar o Brasil para todos. Na verdade, o Brasil tem dois governos: um formado pelos ministérios e outro de Bolsonaro, com os filhos, nas redes sociais, que provoca até crise diplomática. Para Bolsonaro, o mais importante é o governo on line onde ele recebe os likes dos seguidores”, disse.

Comentários