Frei Anastácio diz que Bolsonaro mente sobre corte de recursos das universidades

O deputado federal paraibano Frei Anastácio (PT) disse que o Governo Federal mente ao divulgar que está retirando dinheiro do ensino superior (R$ 5,7 bilhões) para beneficiar o ensino fundamental. A declaração foi dada neste sábado (1º), em audiência pública no município de Monteiro, no Cariri paraibano.

Segundo o parlamentar, os cortes atingem desde o ensino infantil até bolsas de doutorados. “É um governo que quer destruir a educação, porque tem medo do povo bem informado e também não quer pobre na universidade. Ele quer que o Brasil volte à Idade Média, onde as pessoas aprendiam a ler em casa”, afirmou.

A Audiência Pública em Monteiro foi realizada no centro da cidade, ao lado do mercado público, para debater a Reforma da Previdência e os cortes na educação promovidos pelo governo Bolsonaro.

A audiência teve a participação de Frei Anastácio e do deputado Gervásio Maia. A propositura foi da vereadora Jacira Oliveira (PT).

O debate teve participação de estudantes, professores, servidores públicos, sindicalistas, aposentados, trabalhadores da agricultura familiar e assentados da Reforma Agrária.

O parlamentar relatou que os cortes feitos pelo Governo atingem até a construção de novas escolas e aquisição de veículos escolares. “Programas de alfabetização de Jovens e Adultos, compra de livros e o Pronera também ficam prejudicados com cortes de 41% no orçamento”, disse.

Situação dos IF’s

O deputado destacou que a situação dos Institutos Federais também é muito preocupante. “Os IF’s sofreram cortes de 40% nos recursos. Em Monteiro, por exemplo, o IF com 950 alunos, já está passando por dificuldades nas atividades. Estive reunido com a direção daquela instituição de ensino, que informou dispor de apenas R$ 400 mil para manter as atividades até o final do ano”, disse.

O deputado disse que o Brasil elegeu um governo truculento, que só veio para destruir direitos adquiridos e que quer acabar com a educação.

“A Universidade Federal de Pernambuco já anunciou que só tem condições de funcionar até outubro. A UFPB e UFCG também poderão ter funcionamento inviabilizado por causa dos cortes. O povo, em todo o Brasil, deu o recado para ele no dia 30 que não é isso que a nação quer”, alertou.

Frei Anastácio lembrou que no dia 14 deste mês haverá outra grande manifestação contra “tudo de ruim que esse governo está fazendo.”

“Só com o povo nas ruas resistindo é que poderemos fazer com que o Brasil seja para todos de novo”, concluiu.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.