Folha diz que foi ríspida conversa de Cássio e Cícero com cúpula do PSDB

Ao lado do presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE), os governadores de São Paulo, José Serra, e de Minas, Aécio Neves, assistiram, anteontem, a uma tensa discussão entre o ex-governador da Paraíba Cássio Cunha Lima e o senador Cícero Lucena (PB).

Na Paraíba, Cunha Lima defende o apoio à candidatura do prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB). Cícero Lucena pretende concorrer ao governo. Num almoço na tarde de sábado, Serra tentou debelar a crise.

Na ríspida conversa, Cunha Lima insistiu na ideia de que não há espaço para a candidatura de Cícero no Estado. De acordo com ele, haveria o risco de o PSDB da Paraíba sair da eleição menor do que é hoje.

Cunha Lima, que ameaça deixar o partido, prometeu ficar desde que asseguradas condições para que concorra ao Senado. Cícero disse que cabe ao partido na Paraíba decidir seu destino.

Esse era também um dos nós na pauta de uma conversa entre o presidente nacional do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), e presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE).

Num café da manhã, Maia se queixou da concentração de poder em São Paulo e reclamou das negociações em Estados como o Rio de Janeiro e o Espírito Santo.

Sobre o Rio, reclamou do PSDB insistir no lançamento de candidatura própria, em vez de apoiar o verde Fernando Gabeira.

O próprio Serra pediu que o PSDB fluminense suspendesse a operação. Na conversa, Rodrigo defendeu ainda que o PSDB apoie Osmar Dias (PDT) no Paraná e Coutinho na Paraíba.

Sobre o Espírito Santo, alegou que o tucanato não pode exigir que o DEM rompa com o governador Paulo Hartung (PMDB), sem investir no fortalecimento dos democratas no Estado. Uma das propostas seria a de que Rita Camata, hoje no PMDB, se filiasse ao DEM em vez de ir para o PSDB, hipótese que ela cogita.

A própria deputada resiste, no entanto, à ideia.

Maia reclamou ainda da maneira unilateral como é conduzida a costura de palanques pelo país.

 

Folha de S. Paulo

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.