Fofinho atribui denúncia sobre Bolsa Família a picuinha política

O vereador Mizael Martinho do Carmo, mais conhecido como Fofinho (DEM), respondeu no início da tarde de hoje à denúncia divulgada pelo Parlamentopb a respeito da inclusão dos filhos dele no programa Bolsa Família, destinado a famílias carentes. Em resumo, Fofinho declarou que a denúncia era fruto de picuinha política e esclareceu que sua esposa, Luciene Gomes, e dois filhos, estiveram mesmo cadastrados no programa. O texto do site tratou Luciene, de maneira equivocada, como filha do vereador, reproduzindo o que lhe foi informado por um popular que encaminhou a denúncia.

Segue a íntegra da nota redigida pelo vereador Mizael Martinho do Carmo:

"Em respeito a toda população de Bayeux e compromissado com a transparência na vida pública, esclarece as verdades sobre denúncia articulada por seus opositores políticos  em relação a benefício do seus filhos no Bolsa Família.

1. As denúncias que estão sendo feitas faz parte de mais uma manobra de seus opositores políticos que a cerca de sete meses não aceitaram a derrota na presidência da Câmara, e querem a todo custo, com apenas 7 meses de trabalho antecipar a eleição da mesa.

2. O vereador não é homem abastado, e sim simples e humilde. Fez sua campanha com ajuda dos amigos que conquistou ao longo de sua vida. Técnico em enfermagem sempre procurou ajudar as pessoas, chegando a priorizar por diversas vezes o povo, ao invés da família. Todo mundo conhece sua história na cidade. Começou cedo, trabalhando no Mercado Público da cidade e depois ingressou no exército,  onde passou 9 anos. Mora na mesma casa com simplicidade e possui o mesmo carro até hoje.

3. Como qualquer cidadão, passou alguns momentos difíceis na vida. Chegou a ficar desempregado e separou-se por algum tempo da sua atual esposa. Nesse período sua esposa cadastrou os filhos no programa sem o conhecimento do esposo, que dedicava seu tempo a ajudar o povo. Com a candidatura a vereador e logo após a presidência da Câmara, sua vida pessoal ficou sacrificada em virtude das atribuições como legislador. A sua esposa acreditou que o cancelamento era automático em janeiro, mas como constatou que não havia sido, procurou a coordenação para efetuar o bloqueio e o cancelamento formalmente, como atesta o documento do órgão.

4. Na matéria, é citado que o vereador tem três filhos, errado. Ele tem apenas dois. Luciene Andrade Gomes Martinho é sua esposa. Outro erro grave é que até o mês passado ele recebia o benefício. O benefício foi bloqueado automaticamente no começo deste ano, como atesta o documento da coordenação do programa.

5. Por fim, o vereador se coloca à disposição de todos para qualquer outro questionamento e reafirma o compromisso de transparência, responsabilidade e compromisso com o povo de sua cidade e esclarece que não há nada, desde o momento que assumiu o cargo público de vereador, que venha a comprometer sua ética e moral no zelo com a coisa pública.  Ele convoca a todos para deixar as "picuinhas" políticas de lado, desarmar o palanque e trabalhar por Bayeux, que vive uma situação administrativa difícil.

Nota do Parlamentopb – A editora do Parlamentopb, Cláudia Carvalho, garante ao vereador Fofinho e aos leitores do site que a denúncia não tem qualquer conotação política. Os documentos comprobatórios da inclusão dos parentes do presidente da Câmara Municipal foram encaminhados por um cidadão comum, que não tem ligação com grupos políticos. A fonte pediu reserva temendo represálias. O Parlamentopb reafirma seu compromisso de isenção e responsabilidade e pede desculpas pelo erro cometido ao caracterizar Luciene Gomes como filha do vereador, reproduzindo o que lhe foi informado pelo cidadão bayeense.

Desde a inclusão da matéria no site, na noite de ontem, foi disponibilizado ao vereador o direito de explicar o fato, o que só aconteceu, no início da tarde de hoje.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.