Fernando Carvalho quer ação do Governo contra crimes cibernéticos

Se o Governo do Estado atender a solicitação do vereador Fernando Carvalho, do PMDB, Campina Grande ganhará a Delegacia Contra Crimes Cibernéticos. Requerimento nesse sentido foi aprovado pela Câmara Municipal, cabendo, agora, à Secretaria de Segurança Pública agilizar a sua implantação.

O vereador Fernando Carvalho informou que a gama de crimes cometidos pela Internet é incontável. Eles se classificam como genéricos (erro, negligência, omissão, conspiração, disputa civil), contra o patrimônio (roubo, trapaça, plágio, espionagem), contra a pessoa (pornografia, pedofilia, crimes raciais, preconceito, apologia ao suicídio, contra a honra); de propriedade intelectual (pirataria em geral, violação de dados e sistemas) e os econômicos e financeiros (que visam à obtenção de dinheiro por modo fraudulento e ilusório, como fraude e estelionato).

Fernando Carvalho afirmou que esses e tantos outros motivos justificam a criação da Delegacia Especializada em Crimes Cibernéticos, entre os quais, o fato de que os prejuízos decorrentes de crimes cibernéticos já superariam os assaltos a banco.

Além disso, lembra o vereador, que há de se considerar a evolução tecnológica, a ampliação e as facilidades de acesso à Internet e ao mundo cibernético, fenômenos que, ao mesmo tempo em que favorecem o acesso às informações, trazendo positividade no uso, ocorre também, ao contrário, caracterizando o delito cibernético pela atividade criminal que usa computadores para a prática de crimes.

As pesquisas apontam que no Brasil as fraudes financeiras, que utilizam Internet e correios eletrônicos, já superam, em valores financeiros, os prejuízos de assalto a banco.

"A ameaça à segurança dos usuários do sistema de computação que fazem transações bancárias e comerciais via Internet e que têm suas senhas clonadas e, conseqüentemente, suas compras e contas fraudadas e oneradas, resultando em sérios prejuízos, é uma realidade em nosso País e, em especial, Campina Grande", afirmou Carvalho.

O edil peemedebista lembrou que em 2008, segundo o Banco Central, foram realizadas 7,2 bilhões de operações bancárias pela rede de computadores no Brasil, de tal forma que a Internet se aproxima do uso dos caixas eletrônicos que realizaram 7,9 bilhões de operações no ano passado.

O vereador Fernando Carvalho fez questão de citar o "Pharming", novo nome para um tipo de ataque conhecido há anos, que consiste basicamente em modificar a relação que existe entre o nome de um site na Internet e seu respectivo servidor Web. Ele faz a espionagem através da captação de dados computadorizados utilizando as freqüências e campos eletromagnéticos e a pedofilia via Internet, com utilização de links para transmissão, fornecimento e publicação de cenas de sexo infanto-juvenil, fotografias ou imagens com pornografia infantil.

"Assim, nossa solicitação ao Governo do Estado, através da Secretaria de Segurança Pública, para a criação da Delegacia Contra Crimes Cibernéticos, é por demais importante. Esperamos que o governador José Maranhão, conjuntamente com o secretário Gustavo Gominho, atenda essa reivindicação que é para o bem de todos os campinenses", finalizou Carvalho.

 

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.