Fátima Bezerra se averba suspeita para relatar caso de Marcos Souto

A desembargadora Maria de Fátima Bezerra Cavalcanti declarou-se suspeita e rejeitou a relatoria dos recursos encaminhados pelos advogados de Marcos Souto Maior ao Tribunal de Justiça. O magistrado, posto em disponibilidade, teve seu pedido de aposentadoria negado e seu cargo declarado vago por decisões do presidente do TJ, desembargador Luiz Sílvio Ramalho, publicadas esta semana no Diário da Justiça. Fátima não explicou o motivo da suspeição, mas é possível deduzir que, como vice-presidente da Côrte, seria inadequado para ela analisar um pedido de revisão à decisão do presidente.

Além disso, Fátima Bezerra é primeira dama do Estado e no quadro de auxiliares da administração estadual está Raquel Souto Maior, secretária executiva de Juventude, Esportes e Lazer. A moça é filha de Marcos Souto Maior.

A defesa do desembargador alega que ambas as decisões de Luiz Sílvio Ramalho seriam descabidas. Para o advogado Walter Agra a decisão do Conselho Nacional de Justiça de negar a aposentadoria de Souto Maior se deu no passado, quando haviam vários processos tramitando contra ele. Atualmente, segundo o advogado, esses processos já foram arquivados. Ele acrescenta que a vacância do cargo deveria ter sido apreciada pelo Pleno e não apenas pelo presidente do Tribunal.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.