Leonardo Dantas

Servidor público por precisão, jurista por formação e educador por paixão. É pós-graduado em Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas pela UFPB. Contato: leonardodantas09@gmail.com


Falando de sexo, data máxima vênia

– Boa noite, querida cônjuge!

– Nutrindo grandiosa expectativa libidinosa, relativamente ao nosso periódico e satisfatório ato de conjunção carnal, fruto do mais sublime e verdadeiro sentimento afetivo que nos une em vínculo matrimonial, e com fulcro nos consagrados direitos fundamentais de liberdade e vida privada, previstos expressamente na nossa Carta Magna, declaro aberta esta sessão conjugal, seguindo o Rito Ordinário do Acasalamento.

– Antes de penetrar o mérito, solicitaria, respeitosamente, que a minha dama promovesse, como de costume, os atos necessários à concretização do meu efetivo envolvimento subjetivo, mediante abraços calorosos e ósculos voluptuosos, correspondentes ao que a doutrina correlata denomina de “preliminares”.

– Agora, com os níveis de testosterona decolando sobremaneira no interior de meus vasos sanguíneos, e sentindo fortemente os impactantes efeitos hormonais e psíquicos decorrentes desta instintiva alteração fisiológica, sugiro a Vossa Senhoria que, ratificando meu entendimento e utilizando da mais persuasiva sensualidade e ousadia que lhe é peculiar, possa, paulatinamente, descortinar-se de sua atraente vestimenta, a fim de que me permita apreciar, a olho nu, em termos gramaticais, o “núcleo do sujeito”, elevando, inevitavelmente, ainda mais, os picos de minha pressão arterial.

– Data máxima vênia, a forma como a qual a magnífica princesa encontra-se posicionada sobre esta cama já foi parcialmente indeferida em encontros pretéritos, tudo sob o mais absoluto segredo de justiça, por razões óbvias. Urge, portanto, que a madame promova uma rotação de 180 graus sob o eixo longitudinal de seu próprio corpo, fazendo com que o volume do seu avantajado derrière, vulgarmente conhecido como “bumbum”, saia da clandestinidade. Reitero que há jurisprudência nesse sentido.

– Ordem, por favor! Rogo pelo silêncio nos recintos desta Casa, apesar da pressão proveniente das repetidas investidas do meu martelo no tabuleiro de seu gabinete. Manifesto ainda o desejo de que seja introduzido nos anais desta fálica audiência, todo o material a mim apensado, sem que fique de fora qualquer conteúdo. Por menor que seja…

– Atingido o clímax de nossa admoestação, ocasião na qual expeli a líquida e certa sentença resolutória, com a clareza característica, propulsionada por umbilical energia e rigidez da dura lex sed lex, convicto da satisfação e gozo do direito de ambas as partes, agradeço pelos expedientes desenvolvidos com maestria por minha amada Excelência e declaro encerrados os trabalhos desta lânguida reunião.

– É como voto.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.