Ex-segurança de Fátima Bezerra relatou ameaças antes de ser assassinado

Assassinado com sete tiros na cabeça por volta das 17 horas de ontem, o cabo da Polícia Militar João Maria Figueiredo, que atuou como segurança da governadora eleita do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), havia revelado a pessoas próximas que tinha recebido ameaças. A informação foi repassada ao ParlamentoPB por uma fonte que pediu reservas por motivo de segurança. Cabo Figueiredo, como a vítima era mais conhecida, havia passado a manhã de ontem na Escola de Governo, acompanhando o trabalho da equipe de transição e era cotado para integrar os quadros da nova gestão a partir de janeiro.

“Sabemos que foi uma execução”, disse a fonte. O tipo do crime não deixa dúvidas. Figueiredo foi morto em uma estrada de terra na Redinha, Zona Norte de Natal. Sua arma e sua identidade funcional da PM foram levadas. A motocicleta em que ele estava, não.

A Secretaria de Segurança do Rio Grande do Norte está investigando o caso, mas não divulgou maiores informações sobre o assassinato.

Fátima Bezerra não comparecerá às últimas homenagens ao ex-segurança, que está sendo velado no Centro de Velório Sempre e será sepultado às 16 horas. A petista tinha um compromisso agendado com muita antecedência e seguiu logo cedo para uma reunião com moradores Jucurutu, para tratar sobre a obra da barragem de Oiticica, considerada como a redenção hídrica da região do seridó potiguar.

De Jucurutu, Fátima segue para outro compromisso em sua terra natal, Nova Palmeira, na Paraíba, onde será recepcionada por seus conterrâneos e familiares. A governadora eleita só deve retornar ao Rio Grande do Norte depois do Natal.

Em seu perfil no Facebook, Fátima comentou o episódio:

Ex-segurança de Fátima Bezerra relatou ameaças antes de ser assassinado

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.