Eudes reage à perda de apoio do PT e diz ter provas de barganhas de cargos

O vereador José Eudes, do PTB, que perdeu o apoio do PT à sua candidatura a prefeito de Cabedelo na noite de ontem, reagiu com indignação à mudança e disse que a sigla vai voltar ao seu arco de alianças. A executiva estadual petista alegou que o diretório municipal do partido, presidido por Alexsandro Batista, descumpriu regras da estratégia de alianças petista e, por isso, migrou para se compor com o candidato do PSOL, Marcos Patrício.

“O PT de Cabedelo tem diretório municipal e é presidido por Alexsandro Batista, o mesmo que fez as denúncias da Operação Xeque-Mate junto comigo. Então, a quem interessa os ataques a mim? Será só a quem está preso? ao prefeito interino Vítor Hugo? ou será que estão todos juntos contra mim? Olha a surpresa, Marcos Patrício, um homem que se diz sério fazendo as mesmas práticas … E agora o PT estadual decide pelo apoio ao PSOL. Alexsandro tem prints de conversas em que alguns do PT dizem que querem barganhar cargos com Ricardo Coutinho, com Vítor Hugo, e que a legenda teria que ficar com alguém que desse algum suporte, ou seja, estavam negociando o partido. Como Alexsandro não cedeu, eles fizeram esse alinhamento com Marcos Patrício. Mas, podem ter certeza que o PT ficará comigo porque haverá recurso do diretório municipal vai apresentar recurso”, disse Eudes ao Jornal da Manhã da Jovem Pan.

PT municipal mantém apoio

O presidente do Diretório Municipal do PT em Cabedelo, Alexsandro Batista, disse ao ParlamentoPB que o partido vai manter o apoio a Eudes, divergindo da orientação da Direção Estadual.

Segundo Alexsandro, o diretório estadual do partido não respeitou a decisão soberana dos filiados cabedelenses de apoiar a candidatura do vereador José Eudes à prefeito.“Como se não tivesse com quem brigar em Cabedelo, alguns filiados do partido, que não fazem parte nem do diretório nem da executiva municipal, tentam impedir a decisão soberana e unânime do diretório municipal que optou pelo apoio à candidatura do vereador Eudes”, declarou.

Jackson Macêdo nega barganha de cargos

O presidente estadual do PT, Jackson Macêdo, rebateu as declarações de Eudes e negou que o partido esteja barganhando cargos. “Dificilmente o PT estaria numa composição com Vitor Hugo. Essa história de cargos é de um absurdo que não tem tamanho. Nós fazemos oposição a Vitor Hugo, nós queremos derrotar Vitor Hugo”, declarou.

Jackson Macêdo disse que não conhece Eudes pessoalmente, mas fez elogios ao parlamentar. “Me parece que é uma boa pessoa”, disse, ressaltando, entretanto, que a composição feita com o PTB em Cabedelo foi com os adversários do PT. “Walber Virgulino, Eliza Virgínia, que são eleitores de Bolsonaro, estão no campo de apoio de Bolsonaro. Então, não tem a menor condição política de estar junto nesse palanque. Pra nós, do PT, é muito importante nessa conjuntura a unidade do campo de esquerda, progressista, democrático popular. E ter o PSOL, PC do B e PT no mesmo palanque é uma grande vitória pra esse campo nas eleições de Cabedelo”, enfatizou.

Eudes reage à perda de apoio do PT e diz ter provas de barganhas de cargos

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.