Equipe do BNDES avalia projetos de Arranjos Produtivos Locais da Paraíba

Os 33 projetos de Arranjos Produtivos Locais (APLs) que estão em execução na Paraíba foram avaliados positivamente por representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O apoio a empreendimentos produtivos e inovadores locais de baixa renda está sendo viabilizado por meio de um convênio entre o Governo do Estado e a instituição financeira, pelo programa APL Estados. O valor do primeiro edital é de R$ 14 milhões, dos quais R$ 2 milhões já foram liberados.

Após a visita dos representantes da superintendência do BNDES às cooperativas e associações de produtores nos municípios de Belém, Lucena e Pocinhos, uma reunião foi realizada nessa quinta-feira (12), na sede da Secretaria de Estado do Planejamento e Gestão (Seplag).

Participaram do encontro os secretários Gustavo Nogueira (Planejamento e Gestão), Renato Feliciano (Turismo e Desenvolvimento Econômico), Marenilson Batista (Desenvolvimento Agropecuário), o gestor do projeto Cooperar, Roberto Vital, além de representantes do Empreender Paraíba, do Sebrae-PB e de órgãos da administração indireta estadual.

Inclusão social e produtiva – Nogueira informou que 50% dos recursos previstos no edital do APL Estados foram repassados pelo Governo do Estado a partir do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza na Paraíba (Funcep), que é gerido pela Seplag. A outra parte será proveniente do financiamento do BNDES.

Durante a reunião, Nogueira propôs a realização de uma visita de representantes do Governo do Estado à sede do BNDES, no Rio de Janeiro, no próximo mês, com o objetivo de alavancar outros R$ 40 milhões – a serem utilizados em projetos de inclusão social e produtiva. “Propus uma agenda positiva denominada ‘Missão 40’. Nosso objetivo é conseguir mais recursos para o Estado, provenientes do Fundo Social do BNDES”, afirmou.

Para o secretário Marenilson Batista, além da avaliação do funcionamento dos projetos dos APLs, a visita de representantes do BNDES à Paraíba possibilitou a consolidação de expectativas de novos investimentos para o setor. “As equipes foram a campo e os ajustes necessários foram discutidos. Criamos expectativas de novos projetos nas diferentes áreas. Essa missão no Rio de Janeiro consolidaria o trabalho que está sendo feito e traria mais recursos para que a Paraíba pudesse ter o desenvolvimento que merece”, avaliou Marenilson.

Mais apoio
– Segundo o chefe do Departamento de Economia Solidária do BNDES, Angelo Fuchs, o banco está satisfeito com o resultado que vem sendo obtido na Paraíba. “A nossa expectativa é melhorar os trabalhos e acelerar o processo, fortalecendo a equipe de execução local. Visitamos três empreendimentos que foram atendidos pelo projeto e ficamos bem impressionados com o resultado”, comentou.

Ele ressaltou o interesse do BNDES em proporcionar novas formas de apoio aos APLs da Paraíba: “A equipe da Paraíba estará presente na nossa sede no próximo mês, para que possamos estudar novas possibilidades de apoio. O BNDES tem todo o interesse em manter esse programa, bem como em manter novos programas”, declarou Angelo Fuchs.

Sobre os APLs – A Paraíba possui 33 projetos de Arranjos Produtivos Locais em execução, em diversos ramos de atividade, como apicultura, fruticultura, artesanato, mandiocultura e piscicultura. As associações e cooperativas que compõem a cadeia produtiva dos APLs estão nos municípios de Alagoa Nova, Araçagi, Areia, Belém, Juarez Távora, Matinhas, Natuba, Pocinhos, Puxinanã, Queimadas, Salgado de São Félix, Marcação, Princesa Isabel, Passagem, Livramento, Serra Branca, Caturité, Salgadinho, Prata, Lucena, Mari, Pombal, Piancó, Poço José Moura, Condado, Campina Grande, Sumé, Aparecida e Jericó.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.