Em liberdade, investigado na Calvário tem CNH suspensa por ter sido pego na Lei Seca

Diz o ditado: Por cima de queda, coice. A máxima se aplica ao empresário Vladimir dos Santos Neiva, diretor da Grafset. Mal obteve o direito de responder ao processo em liberdade, o que aconteceu no dia 20 por decisão da ministra Laurita Vaz, ele terá que entregar sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e ficará sem poder dirigir veículos por um prazo de 12 meses. Vladimir foi pego em uma fiscalização da Lei Seca. A penalidade consta na edição do último dia 19 de fevereiro do Diário Oficial do Estado e, portanto, se refere a um ato cometido antes da prisão que ocorreu no dia 17 de dezembro de 2019.

Na denúncia apresentada pelo Ministério Público Estadual, o empresário é citado como integrante do Núcleo Econômico da organização criminosa que é acusada de desviar mais de R$ 134 milhões em verbas públicas. No documento, é dito que Neiva utilizava um terreno baldio que servia de estacionamento, ao lado da academia Superação, em Tambaú, para repassar valores que variavam entre 15% a 30% ao ex-secretário executivo de Turismo do Estado, Ivan Burity. O dinheiro viria de sobrepreço em itens vendidos para a Secretaria de Educação e eram repassados como propina. A quantia dependia se o material adquirido era produzido pela própria Grafset ou por empresas representadas por Vladimir.

Comentários