Eliza Virgínia responde às críticas de José Bernardino: Louco é ele

A vereadora Eliza Virgínia (PPS) conversou hoje com o Parlamentopb e demonstrou surpresa com o teor das declarações do presidente estadual de seu partido, José Bernardino da Silva, contra ela. O dirigente entrou no ar na Rádio 101 FM, no programa Paraíba Agora, e criticou duramente a vereadora na última sexta-feira, 31. Bernardino pediu para participar do programa para comentar uma entrevista na qual Eliza havia dito que havia uma articulação dele para aproximar o partido do governador José Maranhão. Negando essa tese, Bernardino disse que não sabia de onde o assunto teria partido e que achava que a vereadora tinha problemas mentais.

Hoje, Eliza disse que leu uma matéria jornalística que narrava um almoço entre Bernardino e Gilvan Freire, ex-deputado que vai assinar ficha de filiação do PMDB de José Maranhão, e que tratava da possibilidade de Bernardino deixar a Guarda Municipal para assumir uma Secretaria do Governo em troca do apoio do partido ao Governador.

"Eu soube disso e achei estranho que ele ameaçasse os deputados que pretendiam votar a favor de matérias do Governo, enquanto tratava desse apoio, sem consultar ninguém. A reação dele foi muito estranha. Ele não defende o diálogo e quer conduzir o partido de forma autoritária, desrespeitando os filiados. Não é a primeira vez que ele faz isso. Na última reunião, ele ofendeu a deputada Socorro Marques, sendo necessário que Nonato Bandeira interferisse. Essas grosserias são comuns dele. Chegou a dizer que eu tenho problemas mentais, mas quem deve ser louco é ele", disse Eliza.

A vereadora, entretanto, admitiu que está inadimplente com as contribuições partidárias e prometeu quitar seus débitos ainda esta semana: "Esqueci porque não tem boleto. A gente tem que depositar os valores. Mas, vou pagar", disse ela, negando que tenha se ausentado de todas as reuniões do PPS: "Eu sempre vou às reuniões desde que seja avisada. Na última, eu apenas saí mais cedo, mas posso provar minha presença mostrando a assinatura no livro de atas".

Finalmente, Eliza Virgínia minimizou o fato de José Bernardino ter dito que tinha recebido do presidente nacional do partido, Roberto Freire, a incumbência de repreender a ela e ao pai por causa da linha de atuação de seus projetos, sempre com teor evangélico: "Roberto Freire tem sido muito atencioso conosco. Da última vez que nos vimos, em um evento partidário, ele me fez uma saudação especial da mesa dos trabalhos. Se ele é contra projetos que reprimem a pedofilia, então estou no partido errado mesmo", ironizou.

 

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.