Dilma afirma que corrupção atingiu ministério de Marina

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, subiu o tom e fez o ataque mais dura a Marina Silva (PV) nesta campanha, durante o debate da TV Record que aconteceu na noite deste domingo no Rio de Janeiro.

Segundo Dilma, houve corrupção no Ministério do Meio Ambiente, quando Marina ocupou o posto entre 2003 e 2008.

"No seu ministério teve pessoas de cargo de chefia envolvidas na venda de madeira", afirmou. "As mesmas providências tomadas por você, eu tomei. Não impede que os casos se repitam. Temos que assegurar que as instituições melhorem", completou a petista.

Pesquisa Datafolha, feita entre os dias 21 e 22 de setembro, mostra que Marina subiu de 11% para 13% das intenções de votos, enquanto Dilma caiu de 51% a 49%. José Serra (PSDB) oscilou de 27% a 28%.

Marina também adotou tom mais agressivo e focou ataques no terceiro bloco do debate contra Dilma. Ela criticou a corrupção e a política de combate ao analfabetismo.

Em sua primeira pergunta, Marina questionou as medidas tomadas para evitar casos de corrupção na Casa Civil após a queda de José Dirceu, quando a petista o substituiu no comando do órgão.

"Uma pessoa que entrou com você, da sua confiança, tudo se repetiu. Tráfico de influência, fisiologismo e acusação até de gente pedindo percentuais. Tudo isso ao lado do presidente Lula. Como isso se repetiu duas vezes sem que nada tivesse sido feito?", disse ela.

"Marina, eu faria a mesma coisa que você", respondeu Dilma, que aproveitou para vincular a rival ao governo Lula chamando-a de "ex-ministra como eu", diz Dilma.

Em seguida, trouxe à tona acusações contra o ministério na época de Marina.

PETROBRAS

Dilma procurou exaltar a capitalização da Petrobras ao questionar Marina sobre o tema. A verde, no entanto, direcionou o debate para a necessidade de uso de mais energia renovável na matriz energética e defendeu que se deixe de priorizar a exploração do petróleo, apesar das descobertas no pré-sal.

"O processo de capitalização é importante. Para evitar o que aconteceu no Golfo do México. Petróleo ainda é um mal necessário. Temos que investir em energias alternativas. A Petrobras pode investir para substituir petróleo. Não queremos o modelo da Venezuela", afirmou.

Em seguida, alfinetou a petista ao dizer que a matriz energética brasileira é cada vez mais suja.

"Quem se preparou para um plebiscito e não um debate não consegue chegar aqui e debater"

A discussão entre Dilma e Marina se estendeu para o tema do analfabetismo. Marina lembrou que não sabia ler nem escrever, e criticou o combate do governo Lula ao problema.

PROGRAMAS ANTI-DROGAS

O tucano José Serra criticou o programa anti-drogas do governo Lula e defendeu a construção de clínicas de atendimento a dependentes químicos.

Marina, porém, afirmou que o governo FHC também tem responsabilidade pelo fracasso no setor. "A pergunta que se deve fazer é o que foi feito e o que continua não sendo feito", disse ela.

Serra prometeu ainda criar 1 milhão de vagas no ensino técnico, e alegou ter duplicado o número de escolas tecnológicas em São Paulo.

Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) defendeu que 10% do PIB seja investido na educação.

Plínio defendeu também salário mínimo de R$ 2.000, criticando a política salarial do governo Lula.

 

Folha Online

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.