CUT defende seis horas de trabalho diário

Trabalhar em torno de 6 horas por dia, incluindo o sábado, ou 8 horas diárias com descanso no sábado. Esta é a proposta que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) quer aprovar para beneficiar milhares de trabalhadores paraibanos. Trata-se da Campanha da Redução da Jornada de Trabalho sem Redução de Salário, que além de beneficiar quem trabalha nos ramos da indústria e do comércio, também pretende beneficiar os que estão desempregados. A PEC quer reduzir de 44 para 40 a quantidade de horas trabalhadas por semana no Brasil.
 
De acordo com o vice-presidente da CUT-PB, Marcos Henriques Silva, a aprovação da proposta de Emenda à Constituição (PEC) 231/95, que tramita no Congresso Nacional, pode criar em torno de 4,5 mil empregos na Paraíba e dois milhões em todo o Brasil. “Fora a redução do desemprego, a proposta poderá resultar em melhores resultados de produtividade para as empresas. A redução da jornada de trabalho possibilita que os trabalhadores tenham tempo para estudar mais e fazer novos cursos, resultando numa melhor qualificação”, destacou o sindicalista. 
 
Jornada de até 60 horas
 
O vice-presidente da CUT-PB explicou que a quantidade de horas trabalhadas atualmente pode chegar até a 60 horas semanais, porque há ainda os tempos dedicados ao exercício da função, mesmo que fora do local de trabalho. O tempo de deslocamento entre casa e trabalho e o tempo utilizado nos cursos de qualificação podem ser exemplo disso. Em relação à qualificação e treinamentos, Marcos Henriques destacou que são cada vez mais demandados pelas empresas e realizados, normalmente, fora da jornada de trabalho.
 
Ele disse ainda que o trabalhador também presta horas fora da jornada normal na execução de tarefas de trabalho fora do tempo e local de trabalho , que em muito tem sido facilitada pela utilização de celulares, notebooks e internet. “Além disso, tem o tempo que os trabalhadores passam para pensar em soluções para o processo de trabalho, mesmo fora do local e da jornada de trabalho, principalmente a partir da ênfase dada à participação dos trabalhadores, que os leva a permanecer plugados no trabalho, mesmo distantes da empresa”, destacou Marcos Henriques. 
 
Mundo – O sindicalista aponta ainda que a jornada de trabalho no Brasil é uma das mais longas do mundo.  De acordo com dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Brasil perde apenas para o Japão em horas de trabalho semanais na indústria de transformação. Os dados de 2006 apontam que nos Estados Unidos, por exemplo, os profissionais trabalham em média 41,1 horas por semana. Na Espanha, a quantidade de horas trabalhadas foi de 35,3.
 
Confira abaixo o comparativo das horas semanais trabalhadas:
 
Países/ Horas semanais 
 
Japão 43,5
Brasil 43,0
Chile 43,0
Suíça 41,2
Estados Unidos 41,1
Reino Unido 40,7
Canadá 39,6
Alemanha 37,6
Espanha 35,3
 
Fonte: OIT. Anuário Estadisticas del Trabajo e DIEESE/Seade.PED- pesquisa de emprego e desemprego.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.