Conselho de Ética instaura processo contra deputada do PT por empurrão em Julian Lemos

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados abriu ontem (14) processo para averiguar se houve quebra de decoro parlamentar por parte da deputada Maria do Rosário (PT-RS).

A representação do PSL, que solicitou a abertura do processo no conselho, acusa a deputada de ter empurrado os deputados Julian Lemos ( PSL-PB) e Éder Mauro (PSD-PA) durante sessão em maio deste ano.

De acordo com o PSL, o fato teria ocorrido no plenário da Câmara, durante sessão com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, convocado para esclarecer fatos sobre o contingenciamento na pasta.

O processo por quebra de decoro prevê punições que podem levar, inclusive, à cassação do mandato parlamentar.

Com a abertura do processo, o próximo passo será a escolha do relator. Nesta quarta, o colegiado definiu, por meio de sorteio, uma lista tríplice composta pelos deputados JHC (PSB-AL), Hugo Leal (PSD-RJ) e Hiran Gonçalves (PP-RR).

Caberá ao presidente do conselho, Juscelino Filho (DEM-MA), escolher um dentre os três para ser o relator do processo.

Depois de escolhido o relator, deverá ser apresentado um parecer preliminar, que pode recomendar o prosseguimento ou o arquivamento do processo.

Em nota, a deputada disse que tem sofrido uma “perseguição permanente” e que a representação tem como finalidade “intimidá-la”.

Conselho de Ética instaura processo contra deputada do PT por empurrão em Julian Lemos

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.