Com debandada de deputados, suplentes do PSB entram na Justiça

O PSB vive hoje um estranho fenômeno. Todos os cinco deputados estaduais – Leonardo Gadelha, Nadja Palitot, Guilherme Almeida, Expedito Pereira e Carlos Batinga – e dois federais – Manoel Júnior e Marcondes Gadelha – pediram desfiliação  da legenda e estão migrando para outras agremiações. Hoje de manhã, os suplentes Alexandre Urquiza, Tonquinho de Sousa, Flávio Eduardo "Fuba" e José William se reuniram com o advogado Ricardo Sérvulo para discutir estratégias para buscar na Justiça os mandatos de todos, exceto Expedito, cuja chegada à Assembleia se deu pela licença da deputada Iraê Lucena (PMDB).

"A medida pode parecer antipática, mas na democracia existem leis. A democracia americana só funciona porque tem leis enérgicas e que são respeitadas. A iniciativa do interesse pessoal não se sobrepõe a toda uma legenda. Os deputados dependeram da legenda para se eleger e o mandato é do partido. Os deputados também não concordam com uma candidatura própria", disse Ricardo Sérvulo na Rede Paraíba Sat.

Segundo Ricardo, apesar do descrédito dos parlamentares em relação à celeridade dessas ações, ele tem um entendimento diferente: "O TSE tem orientado os TREs a darem prioridade a este tipo de julgamento.Não tenho dúvida que será um processo rápido", resumiu.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.