Cirurgiões do Trauma param e secretário de Saúde da PB se escala para operar

Desde as 7 horas deste sábado, 28, os neurocirurgiões, cirurgiões torácicos e vasculares do Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa entraram em greve. Eles reclamam da ausência de pagamento dos salários de novembro e dezembro por parte do Instituto Acqua, responsável pela gestão pactuada da unidade até o dia de ontem. Com a falta de médicos, o secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, está no hospital à disposição para realizar cirurgias. “Estou aqui na porta do hospital e à disposição para o que precisar”, disse ele ao ParlamentoPB.

Geraldo afirmou que o Governo da Paraíba repassou ao Acqua anteontem R$ 10,2 milhões para encerrar as atividades da OS no Trauma, que voltará a ser administrado pelo Governo até que seja aprovada a criação da Fundação PB Saúde, projeto que passará pela apreciação da Assembleia Legislativa no início do próximo semestre. “O Estado da Paraíba não deve nada ao Acqua. Se os médicos não receberam, eles têm que acionar a OS e não o Estado. Nós não podemos pagar duas vezes pelo mesmo serviço. Se eu fizesse isso, iria responder junto aos órgãos de controle”, afirmou o secretário de Saúde.

Segundo ele, os atendimentos estão normais no Hospital de Trauma até agora, mas a relação com o Instituto Acqua envolveu ao longo dos últimos seis meses 15 notificações por descumprimentos de termos do contrato.

Geraldo acrescentou que o Governo não teme a retomada dos problemas que existiam antes da implantação da gestão pactuada, quando os médicos deflagravam greves e paralisações com frequência pelo aumento de salários. “Hoje, pagamos um ótimo salário. São R$ 2.400,00 um plantão de 12h do neurocirurgião e R$ 2.800,00 para um cirurgião torácico. Não falta quem queira trabalhar”, resumiu.

Confira a nota da Neurovasc sobre a greve dos médicos:

Confira a nota da Secretaria de Estado de Saúde:

À SOCIEDADE PARAIBANA:

A SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE LAMENTA PROFUNDAMENTE A INEXISTÊNCIA DE DIÁLOGO E INTRANSIGÊNCIA DA COOPERATIVA DE NEUROCIRURGIA,CIRURGIA TORÁCICA E CIRURGIA VASCULAR EM RELAÇÃO À MANUTENÇÃO DOS SERVIÇOS PRESTADOS À POPULAÇÃO QUE RECORRE AO HOSPITAL DE TRAUMA HUMBERTO LUCENA DE JOÃO PESSOA CULMINANDO COM UMA DECISÃO PRECIPITADA DE PARALISAÇÃO ABRUPTA DAS ATIVIDADES COMUNICADA APENAS 10 H ANTES DE ABANDONAR A POPULAÇÃO DE JOÃO PESSOA E GERAR DESASSISTÊNCIA COM RISCO IMINENTE DE MORTE DE INOCENTES.

RESSALTAMOS QUE A SECRETARIA SEMPRE SE MOSTROU DISPOSTA AO DIÁLOGO E APÓS UMA EXAUSTIVA REUNIÃO DE DURAÇÃO DE DUAS HORAS PREVALECEU MAIS UMA VEZ A INTRANSIGÊNCIA DE ALGUNS MEMBROS DA COOPERATIVA.

A SECRETARIA SE COMPROMETEU A REMUNERAR O MESMO VALOR CONTRATADO PELA GESTÃO DA OS-854.619,21/ MÊS, NUMERÁRIO QUE POUCOS PROFISSIONAIS DO PAÍS RECEBEM.

2 comentários

  • Francy
    09:00

    Como pode um hospital de urgência emergência o mais importante parar meu deus a população não pode passar por isso

  • Carlos
    09:00

    Esse secretário quer instale o caos mentindo e sendo negligente sem tomar as responsabilidades devidas

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.