Cidade Viva amplia doações durante pandemia e inclui África

A Fundação Cidade Viva ampliou a assistência social durante o período da pandemia da Covid-19. Além de distribuição de mais de 25 toneladas de alimentos em cestas básicas, milhares de quentinhas aos moradores de ruas e de produtos de higiene pessoal e de proteção nesses três meses a centenas de famílias de 11 comunidades carentes e de entidades, localizadas em oito cidades paraibanas, a Fundação incluiu em seu radar da ação social uma ajuda internacional.

Cerca de 600 famílias vulneráveis de Maputo, capital de Moçambique, no continente africano, também receberam ajuda, por meio de aporte financeiro. Os recursos serviram para comprar donativos e máscaras protetoras para serem distribuídos com as comunidades mais carentes.

“A Cidade Viva costuma trabalhar sempre com parcerias. Em Maputo, capital de Moçambique, temos mantido uma parceria há mais de cinco anos com o Instituto Ebenézer, que cuida de crianças. Durante essa pandemia, houve uma necessidade maior de ajuda social e por isso elevamos o nosso aporte financeiro para aquela vila em Maputo para compras de alimentos e máscaras. Eles são muito zelosos em fazer uma partilha mais otimizada dos recursos recebidos, mas também têm recebido ajuda de outras igrejas para fazer o trabalho de evangelismo com crianças. Os projetos da Cidade Viva trabalham, na verdade, com a perspectiva da dignificação das pessoas”, detalhou o secretário executivo da Fundação Cidade Viva, pastor José Marcelo.

Quarto mês da campanha

Voltado às comunidades carentes de oito cidades da Paraíba, a Fundação Cidade Viva deu continuidade em julho ao quarto mês do Projeto Cesta Básica, que integra o Plano de Ação Social da igreja para arrecadação de alimentos e, assim, tentar minimizar o sofrimento de famílias paraibanas vulneráveis, durante a disseminação do novo coronavírus (COVID-19).

A campanha consiste de doações, por meio de transferência de depósito bancário ou de entrega pessoal de alimentos, de três modelos de cestas básicas, com valores diferentes. Tanto os membro e congregados das nove igrejas Cidade Viva como a sociedade paraibana, sensibilizados com os mais vulneráveis, podem fazer esse gesto de solidariedade e contribuir.

A doação pode ser feita em transferência bancária ou pessoalmente em dois endereços. São três valores de cestas: de R$ 72,19; uma segunda de R$ 46,19 e a terceira de R$ 25,19 para quem vai depositar. Para depositar a doação, a Fundação Cidade Viva disponibiliza a conta do banco Bradesco (Agência: 1104-5 e C/C: 10-8) com o número do CNPJ: 09.491.298/0001-54.

Veja mais detalhes no site da Fundação Cidade Viva

Onde entregar as cestas

Para aqueles que preferem entregar fisicamente a cesta há dois locais em João Pessoa. No Centro Convenções Cidade Viva, localizado no bairro Aeroclube, no período de 7h às 18h; ou na Cidade Viva Zona Sul, no City Park, no bairro Valentina Figueiredo, no período de 7h às 19h.

Balanço da Pandemia

Nesses três meses, centenas de família foram, diretamente, assistidas por meio das cestas básicas em 11 comunidades de oito cidades (João Pessoa, Bayeux, Cabedelo, Conde, Santa Rita, Sapé, Cruz do Espírito Santo e Campina Grande). Elas são de comunidades carentes, previamente cadastrados e avaliados, a fim de que só recebam auxílio às famílias que realmente têm necessidade.

Além deste público assistido, outras instituições e entidades foram e têm sido assistidas direta ou indiretamente por meio de outras diversas ações da Fundação Cidade Viva. A igreja Cidade Viva fez doações ainda de máscaras e produtos hospitalares ao Hospital Napoleão Laureano e ao São Vicente; de máscaras e produtos de higiene, produtos hospitalares como álcool Gel a 70%, de luvas descartáveis, toucas e de cestas básicas às Instituições de Longa Permanência de Idosos; de protetores faciais ao Instituto de Perícia da Polícia Civil da Paraíba e de máscaras à Polícia Militar; de alimentos e apoio às famílias com portadores de câncer; de máscaras, luvas nitrílicas e alimentos à Associação dos Catadores de recicláveis de João Pessoa; de quatro mil litros de leite ao projeto “Leite Fraterno” do Ministério Público Federal – Procuradoria da República; de doação financeira para instituição filantrópica com trabalhos com crianças e adolescentes; e de milhares de quentinhas aos moradores em situação de rua por meio da Igreja Cidade Viva.

Ações sem recurso público

Todas as ações sociais da Fundação Cidade Viva acontecem sem qualquer recurso público. As ações são realizadas com doações e investimentos de membros, congregados e amigos da Igreja Cidade Viva e de inúmeros outros voluntários cristãos e não cristãos, mas que se tornam um no amor ao vulnerável.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.