Cássio defende indicação de Ariano Suassuna ao Nobel de literatura

Ariano Suassuna será um dos concorrentes ao Prêmio Nobel de Literatura 2012, da Academia Sueca. A indicação do escritor paraibano, membro da Academia Brasileira de Letras, foi defendida pelo Senador Cássio Cunha Lima (PSDB), nesta quarta-feira, 28, ao apresentar no Senado Federal, requerimento solicitando que o Congresso Nacional e o Ministério das Relações Exteriores promovam a instrução do pleito.
 
“Tem-se na obra e na vida do escritor, nascido na Paraíba, uma expressão filosófica que consegue transpor as limitações temporais e de gerações, conseguindo atingir todos os públicos, e transportar-se pelos mais diversos e modernos meios de comunicação”, afirmou o senador Cássio Cunha Lima.
 
Como a disputa pela vaga é dura, Cássio não perdeu tempo e já iniciou o processo de convencimento em busca de apoio dos demais senadores à sua proposta. Cássio entregou, em mãos, cópia do requerimento ao Presidente José Sarney e de teve o apoio imediato de várias lideranças, como os senadores Aécio Neves, Álvaro Dias, Roberto Requião, Armando Monteiro e Cristovam Buarque.
 
Na justificativa do requerimento protocolado, o parlamentar paraibano dispensou a biografia burocrática de Ariano Suassuna “como se curriculum vitae fosse: é ele, para além do pecado da palavra, o nosso orgulho”.  Afirma o senador Cássio Cunha Lima, que no teatro, na literatura e nos movimentos culturais mais diversos – com destaque para o Movimento Armorial, Ariano também nos permite a catarse que é o encontro da nossa história com a nossa realidade.
 
“A Paraíba, que lhe deu luz e embalou seus primeiros dias, sente-se premiada com essa circunstância de ser o berço de quem nasceu para o mundo. O Prêmio Nobel viria a condecorar, pela primeira vez, um escritor brasileiro e alcançar o que, modernamente, temos de mais prestimoso nas letras, respeitados muitos outros escritores renomados”, afirmou o senador tucano.
 
Há traduções de diversas obras do genial escritor brasileiro em inglês, francês, italiano, espanhol, alemão, holandês, italiano e polonês, tornando-as acessível mundialmente e conduzindo a uma análise mais universal da personalidade do povo brasileiro. “ O prêmio, que tem significados pessoal e nacional, é honraria que o indicado merece. Destaque-se que outros escritores brasileiros contemporâneos também mereceriam como exemplo: o amazonense Milton Hatoum, o maranhense Ferreira Gullar, o mineiro Rubens Fonseca, o carioca Paulo Coelho e o gaúcho Luis Fernando Veríssimo ”, afirmou o senador Cássio Cunha Lima.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.