Caso dos Envelopes Amarelos volta à pauta do TRE amanhã

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) julga amanhã o Caso dos Envelopes Amarelos que aconteceu na campanha eleitoral de 2006 e que resultou numa Aije (Ação de Investigação Judicial), que tem como autora a Coligação Paraíba de Futuro, encabeçada pelo PMDB. A Aije foi proposta durante a campanha de 2006 e envolve o ex-governador Cássio Cunha Lima e Gláucio Arnaud de Monteiro.

De acordo com o processo, no dia 26 de outubro de 2006 dois funcionários públicos, precisamente o diretor do Departamento Administrativo e Financeiro da Secretaria de Controle da Despesa Pública do Governo do Estado e um motorista do governo estadual, foram presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Bayeux, portando a quantia de R$ 42.900, distribuídos em envelopes amarelos e com destinatários certos e definidos que residiam em Monteiro e outras cidades da região do Cariri.

Os destinatários seriam prefeitos e lideranças políticas que apoiavam o projeto de reeleição do então governador, Cássio Cunha Lima. Testemunhas ouvidas no processo deram uma outra versão e informaram que o dinheiro destinava-se fazer face às despesas de carros de som, panfletagem, organização de eventos e para o pagamento de honorários advocatícios.

Embargos – Consta ainda da pauta de amanhã do Tribunal Regional Eleitoral o julgamento dos embargos de declaração apresentados pelos advogados do ex-governador Cássio Cunha Lima no caso dos gastos excessivos com publicidade.

Neste processo, Cássio foi condenado pela prática de conduta vedada e de abuso de poder. Ele também foi multado em 100 mil Ufirs. Segundo o processo, o Estado da Paraíba realizou no ano de 2006 despesas com publicidade dos órgãos da Administração direta e indireta em valores que excederam a média dos gastos com publicidade dos anos de 2003, 2004 e 2005.

Correio da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.