Carlos Dunga afirma que só sai da Assembleia se for preso

Ao tomar conhecimento da decisão monocrática do juiz eleitoral Márcio Accioly suspendendo os efeitos de sua diplomação e posse, o novo deputado estadual paraibano Carlos Dunga (PTB) radicalizou e disse que não deixará a Assembleia Legislativa da Paraíba a não ser que seja preso:
 
– Estou cumprindo uma decisão da ministra Carmen Lúcia, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, referendada pelo Tribunal Regional Eleitoral, que formou a comissão eleitoral para retotalizar os votos. Então, estou cumprindo um ato jurídico perfeito e só saio da Assembleia se for tirado por policias. Já conversei com o presidente Ricardo Marcelo e disse que só saio da Assembléia preso – disse Dunga.
 
O petebista também estranhou o fato da sua diplomação e retotalização dos votos ter sido homologada ontem à noite por todos os membros da corte do TRE, inclusive, pelo próprio juiz que concedeu a liminar, Márcio Aciolly.
 
O deputado disse também que se for preso irá procurar as autoridades do Estado e a bancada federal, os três senadores e os 12 deputados federais, para comunicar a ministra Carmen Lúcia que na Paraíba as decisões do TSE não estão sendo cumpridas.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.