Câmara de João Pessoa aprova repúdio a Ludmila por “apologia às drogas”

Por maioria e com voto contrário de Sandra Marrocos (PSB) e abstenção de Lucas de Brito (PV), a Câmara de João Pessoa aprovou na manhã de hoje um voto de repúdio apresentado pela vereadora Eliza Virgínia (Progressistas) à cantora Ludmila pela música “Verdinha”. A parlamentar alegou que a composição representa “apologia ao uso de drogas”.

A letra da música diz:

Eu fiz um pé lá no meu quintal
To vendendo a grama da verdinha a um real
Eu fiz um pé lá no meu quintal
To vendendo a grama da verdinha a um real

Minha mãe já perguntou
O meu pai já perguntou
A minha vó já perguntou
Que plantinha é essa meu amor

Sou porra louca
Mas também sou dedicada
Em casa não falta nada
Trabalho pra estudar
Eu tenho alma de pipa avoada
Minha vizinha fala, fala, não consegue acompanhar
Um dia vou poder falar toda verdade
A máscara que vai cair diante da sociedade
Bang, bang
Não em perturba
Vou tacar fogo em mais um
Só pra não ficar maluca

Sandra Marrocos se posicionou contra o uso de drogas, mas votou contra a proposta: “Minha sororidade à Ludmila, mulher lésbica, periférica. Marginalizaram o samba e agora o funk está sendo criminalizado. A discussão que cabe aqui é sobre o extermínio de jovens nos bailes funks. Existe muita hipocrisia envolvida nisso. Minha solidariedade a Ludmila e não venham desconstruir minha fala. Todos os projetos relacionados a uma discussão séria sobre as drogas eu apóio, mas não é o caso desse repúdio. Não será com meu voto, que se direciona a uma mulher e não às drogas”.

Lucas de Brito sugeriu que o repúdio fosse direcionado à composição e não à pessoa de Ludmila. Como sua proposta não foi acatada, ele preferiu se abster.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.