Calvário: Gaeco diz que áudios de delação contra Ricardo Coutinho têm integridade comprovada pela PF

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB) emitiu nota em que aponta autenticidade dos áudios da delação de Daniel Gomes, da Cruz Vermelha, acerca das acusações que ele fez contra o ex-governador Ricardo Coutinho, sobre supostas fraudes na Saúde do Estado, com a Organização Social (OS). O Gaeco investiga, através da Operação Calvário, o suposto desvio de R$ 134 milhões dos cofres do Governo da Paraíba na gestão do PSB.

No guia eleitoral de Ricardo Coutinho, candidato a prefeito de João Pessoa, foi veiculada a informação de adulteração nos áudios de Daniel Gomes, que constam no processo. Segundo o Gaeco, perícia da Polícia Federal comprovou a legitimidade dos áudios da investigação.

Confira a nota do Gaeco na íntegra

NOTA

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO -, do Ministério Público da Paraíba, vem a público informar que todas as colaborações inseridas nos processos da Operação Calvário foram homologadas nos mais diversos juízos, incluindo o Tribunal de Justiça da Paraíba e o Superior Tribunal de Justiça.

A integridade dos áudios decorrentes destas colaborações, especificamente do empresário Daniel Gomes, foi assegurada pela perícia da Polícia Federal, após exames a que foram submetidos no setor técnico científico da instituição. Não há conhecimento acerca da existência de perícia privada.

Ademais, é importante ressaltar que a colaboração é tão somente meio de obtenção de prova, sendo, portanto, todas as ações penais, aviadas em face dos múltiplos denunciados, lastreadas em diversas outras matrizes de provas qualificadas, seguindo os mais rígidos critérios da boa e objetiva prática jurídica.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.