Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Caixa pagou parte de festa em homenagem a Toffoli

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

A Caixa Econômica Federal patrocinou parte da festa oferecida em homenagem ao ministro José Antonio Dias Toffoli após a sua posse no STF, no último dia 23, informa reportagem de Frederico Vasconcelos para a Folha.

O evento foi organizado pela Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), que pediu R$ 50 mil à Caixa. O banco confirmou à Folha que, do valor pedido, repassou R$ 40 mil.

O juiz federal Luiz Cláudio Flores da Cunha, do 6º Juizado Especial Federal do Rio de Janeiro, pretende questionar no TCU (Tribunal de Contas da União) e no MPF (Ministério Público Federal) a legalidade do patrocínio.

De acordo com o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, Mozart Valadares, a entidade participou com R$ 10 mil, "dinheiro de contribuições de associados, não público".

Toffoli

No dia 30 de setembro, o plenário do Senado aprovou a indicação de Toffoli para assumir uma vaga de ministro do STF. A aprovação ocorreu logo depois dele ser sabatinado na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Na sabatina, Toffoli prometeu agir de forma imparcial no STF –apesar de ter advogado para o PT e ter sido indicado ao tribunal pelo presidente Lula.

"O fato de ter atuado em decisões eleitorais para o presidente da República faz parte do passado. Não nego a minha história, mas não faz mais parte [dela]. Não vejo nenhum impedimento em relação aos requisitos constitucionais para ir ao STF", afirmou à época.

Para se defender das críticas à falta de pós-graduação, Toffoli disse que priorizou a advocacia em sua formação profissional –por isso não realizou cursos mestrado ou doutorado.

"Em relação a mestrado, doutorado ou concurso, eu tenho a dizer que optei pela advocacia. A minha formação profissional se fez na advocacia. A advocacia é uma atividade nobre, honrosa, está na Constituição como função auxiliar à Justiça. É defensora da aplicação do direito. Eu não fiz opção de vida para a academia. Fiz opção de vida para a advocacia", afirmou.

Sobre o fato de ter sido reprovado em dois concursos públicos, Toffoli disse ao senador Álvaro Dias (PSDB-PR) que o fato não é suficiente para medir o seu "notável saber jurídico" para assumir a vaga no STF.

"A aprovação ou reprovação em concurso não pode ser tomada como responsável pelo notável saber jurídico. Há outras formas de aferição da sapiência jurídica. Esse critério é subjetivo, um critério que sem dúvida Vossas Excelências, ao votarem, têm o direito e o dever de levarem em consideração. É um fato da minha vida, da minha história que ocorreu, mas a minha opção sempre foi a advocacia quando me formei", explicou.

 

Folha Online

 

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

UEPB: uma crise democrática

Confusão continua: TRE nega ter chancelado posse de Raissa Lacerda na Câmara

Anteriores

IMG-20240618-WA0138

Procon-JP encontra variações de até 246,43% nos preços das bebidas em supermercados

o-cantor-nattan-anuncia-a-estreia-do-evento-desman-1695331973

São João 2024 de Patos abre com show de Nattan nesta quarta

e4370692-55ce-4115-947a-1e584ab1b927

Semob-JP realiza esquema de trânsito e transporte durante São João da capital

65612db5-e6db-4224-b601-9d47282b0927

Aeroporto de Campina Grande terá casais quadrilheiros e trios de forró

WhatsApp Image 2024-06-19 at 17.17.41

Polícia Federal da Paraíba investiga circulação de cédulas falsas em Bayeux

ffraz_abr_20180922_1659

Vacinação contra Poliomielite é prorrogada em João Pessoa

Sedes_entrega-milho-04

Prefeitura de João Pessoa realiza entrega de milho verde para famílias em vulnerabilidade social

atlas

Paraíba é o estado com a terceira menor taxa de homicídios do Nordeste

https__img.migalhas.com.br__SL__gf_base__SL__empresas__SL__MIGA__SL__imagens__SL__2024__SL__06__SL__10__SL__08d945a5-c46d-4e3e-a3d0-b535cc2f010c.jpg._PROC_CP65

Município de Cabedelo deve pagar indenização a criança esquecida em ônibus escolar

elba

São João de João Pessoa traz Elba Ramalho na noite de abertura