Cadela é ferida a marretadas e morta por afogamento na Paraíba

Mais um ato de crueldade contra animais é registrado na Paraíba. Dessa vez o fato ocorreu no último domingo (26), no município de São Miguel de Taipu, quando uma mulher tentou matar uma cadela a golpes de marreta. Ainda agonizando, o animal terminou por ser morto por meio de afogamento.

De acordo com a protetora e ativista da causa animal Angelina Simplício, que atua em São Miguel de Taipu, a Polícia Militar foi acionada e esteve no local onde a cadela ensanguentada ainda agonizava, depois de ser agredida com golpes de marreta por sua suposta dona (na foto). De acordo com a protetora, “nada foi feito” e, no momento em que os policiais deixaram o local, “a cachorra ainda agonizava, quando foi pega e terminaram de matá-la afogada”.

A protetora Angelina foi até a casa da mulher apontada como autora das marretadas em companhia dos policiais e retirou da residência outros dois cães. Ela também teria registrado um boletim de ocorrência na delegacia. Para a sua surpresa, o delegado teria dito que “não iria prender a mulher porque ela era quem cuidava e alimentava o marido dela”.

O trabalho de proteção animal promovido por Angelina Simplício no município de São Miguel de Taipu recebe o apoio da ONG Ajude Anjos de Rua, com sede em João Pessoa e dirigida pela ativista da causa animal Fabíola Rezende. “Esse crime cruel não pode ficar impune”, desabafa Fabíola Rezende.

São Miguel de Taipu, com cerca de 7,3 mil habitantes, está localizado na região polarizada pelo município de Itabaiana, e distante a 41 quilômetros da capital paraibana, João Pessoa.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.