Cabo Gilberto convoca policiais a protesto e é criticado por Tenente

O deputado estadual Cabo Gilberto Silva (PSL) fez no último dia 14 de outubro uma convocação aos policiais e bombeiros paraibanos para a realização de um protesto contra o Governo do Estado. Em um áudio divulgado pelo parlamentar em grupos de WhatsApp dos profissionais de segurança pública, ele questionou que tipo de manifestação seus colegas de farda prefeririam fazer: “Qual missão os senhores querem? um movimento na Praça dos Três Poderes? um protesto? uma luta para fortalecer e unir mais nosso movimento contra essas medidas do governador que deixa a polícia da Paraíba com o pior salário do país? O que os senhores querem que eu faça? Convoque um movimento? Quero ouvir a todos. Sou escravo dos senhores. Digam o que querem que eu faça”, foi um trecho da convocação do parlamentar.

Um dos destinatários da mensagem foi o Tenente Astronadc Pereira de Moraes, mais conhecido como Tenente Pereira, que criticou a atitude do deputado, classificado por ele como detentor de um “mandato pífio” e desconhecedor da realidade. Entre os pontos, o militar afirma que qualquer participação da corporação em eventos contra o Governo levaria a punições não aplicáveis ao deputado. “Ele esquece que tem imunidade, que nossos gloriosos policiais não têm. Desta forma, ficam passíveis de punições na esfera da justiça militar e penal. Como ficariam os policiais neste caso? Atormentados por processos que costumam durar anos e impedidos de serem promovidos, além de outros adventos mais desgastantes – principalmente nas suas vidas biopsicossocial”.

Confira a íntegra do artigo de Pereira, encaminhado ao ParlamentoPB:

Neste 14 de outubro de 2021 circulou nas redes sociais, especificamente no whatsApp, um áudio produzido aparentemente pelo deputado estadual da Paraíba, Cabo Gilberto Silva. No áudio, o deputado pergunta à categoria policial da PB o que deve ser feito: “Amigos policiais e bombeiros militares do estado da Paraíba’‘. Pergunto qual é a missão que os senhores querem a partir de hoje?”.

O Cabo Gilberto não tem a menor percepção da realidade. Desconhece o poder e a responsabilidade que tem ao representar os policiais da PB. O deputado Cabo Gilberto estaria perdido no “baile da Política” paraibana?

Ele chega a sugerir no áudio, um movimento na praça dos Três Poderes, um protesto. Segundo ele, uma luta para favorecer e unir o movimento contra supostas medidas do governador da Paraíba. Medidas que o próprio deputado não aponta e não deixa claro no áudio. O deputado ainda se refere a ato em favor do movimento “extra zero”. O deputado esquece de pontos importantes: O primeiro é que o “extra zero” tem consequências graves, para população paraibana e a segurança das pessoas,  por que retira um contingente expressivo de policiais das ruas. Que passariam a não trabalhar no extra policial, durante o “extra zero”. E como ficariam  os bairros, comércios e serviços privados e públicos e a sociedade de modo geral?

O serviço extra que os policiais fazem em suas folgas, também são importantes complementos de renda para suas famílias. Na prática, já incorporados em suas finanças. Ainda no áudio, o deputado Cabo Gilberto indaga: “Pergunto à todos os senhores o quê que os senhores querem que eu faça: convoco o movimento para mostrarmos a nossa insatisfação ao governador,  e a sociedade paraibana entender o que está acontecendo?” 

Na política mais vale a força das ideias do que a ideia de força! Ele representa bem as suas insuficiências na tribuna do povo, nas ações políticas e na falta de ideias, estratégias e ações proficientes. A sua fala é a perfeita régua da incompetência política! Ao promover a construção e efetivação de um movimento paredista na praça dos Três Poderes, o que realmente tenta o deputado? Ele esquece que tem imunidade, já os nossos gloriosos policiais não têm imunidade. Desta forma ficam passíveis de punições que podem alcançar na esfera da justiça militar e penal. Como ficariam os policiais neste caso? Atormentados por processos que costumam durar anos e impedidos de serem promovidos, além de outros adventos mais desgastantes – principalmente nas suas vidas biopsicossocial.

Qual é realmente o grau de comprometimento do deputado cabo Gilberto com a categoria policial, com a sociedade e com a Segurança Pública da Paraíba? A quem interessa um movimento paredista dos policiais neste momento Pandêmico? Mas  o deputado continua: “Estou à disposição dos senhores”. “Quero ouvir a todos.” 

Primeiro é preciso entender o contexto como um todo. O deputado Cabo Gilberto, foi eleito, a partir da retirada de várias candidaturas para uma cadeira na Assembleia Legislativa da PB em 2018. A categoria policial penava há 20 anos sem uma representatividade na política paraibana. Em comum entendimento, vários policiais retiraram seus nomes postulados à disputa à Assembleia Legislativa, em detrimento de um só nome que pudesse agregar mais condições de vitória. Ainda assim, houve disputa. Mas o deputado Cabo Gilberto venceu a eleição e hoje notabiliza-se com um mandato pífio e sem expressão política. Na época acreditava-se que o militar faria um mandato participativo com as diversas forças e lideranças da categoria policial, mas preferiu outro caminho, ouvindo apenas aqueles que lhe beijam a mão. Diferente dos bons líderes que dialogam bem com o contraditório.

O deputado Cabo Gilberto é merecedor de respeito. Mas não pode escapar de olhos mais atentos e de firme cobrança da categoria, que esperava o mínimo de prudência, competência e ação no parlamento. Agora, a um ano das eleições, o deputado Cabo Gilberto se movimenta intempestivamente e sem ações reais para favorecer a valorização da categoria policial e unir o povo paraibano nas diversas bandeiras que defendem nossos honrosos trabalhadores profissionais da segurança pública.

No final do áudio, o deputado faz uma afirmação assustadora e cabe reflexões profundas, ele afirma: “Um grande movimento seria uma boa também, mas eu sou escravo dos senhores digam o que os senhores querem que eu faça.” Qual é o sentimento de quem é escravo? Ao meu ver, ódio de seus escravizadores! O deputado Cabo Gilberto revela em seu último apelo que está emparedado. De um lado o coletivo policial paraibano, que esperava mais preparo de seu representante e de outro, sua angústia de ter mais insuficiência no parlamento do que capacidade política.

Astronadc Pereira de Moraes.
Policial Militar da Paraíba
Oficial. Tenente PM/PB

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.