Buega Gadelha deixa a prisão horas após ser preso pela PF em Brasília

O presidente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), Francisco Benevides Buega Gadelha, foi solto no início da noite desta terça-feira (19) por determinação da Justiça. Buega foi preso no final da manhã de hoje, em Brasília, onde cumpria agenda de trabalho na CNI. A liberação de Buega Gadelha foi confirmada pela PF em Brasília ao ParlamentoPB.

Buega foi um dos alvos de mandados de prisão temporária cumpridos hoje pela Polícia Federal na Operação Fantoche, deflagrada na Paraíba e em outros estados brasileiros. O mandado de prisão temporária contra o presidente da Fiep seria cumprido em Campina Grande, mas como ele estava em Brasília, a prisão ocorreu lá.

A assessoria da Fiep havia informado, em nota, que Buega Gadelha,  que é um dos vice-presidentes executivos da Confederação Nacional da Indústria (CNI), representando a região Nordeste, iria se apresentar às autoridades na quarta-feira (20), em Recife. Porém, ele se entregou antes do previsto.

A Operação Fantoche foi deflagrada com o objetivo de desarticular organização criminosa voltada à prática de crimes contra a administração pública, fraudes licitatórias, associação criminosa e lavagem de ativos.

Na mesma operação, além de Buega Gadelha, foram presos também os presidentes das federações das Indústrias de Alagoas (Fiea), José Carlos Lyra de Andrade, e de Pernambuco (Fiepe) Ricardo Essinger, e o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, além de seis investigados.

A Operação Fantoche foi deflagrada pela Polícia Federal (PF), em parceria com o Tribunal de Contas da União (TCU).

Todos os detidos  são suspeitos de integrar uma organização criminosa acusada de fraudar convênios do Ministério do Turismo com entidades do Sistema S (Sesi, Senai, Sesc, Sebrae).

Comentários