Brito Neto considera “ameaçadora” organização do movimento gay no Brasil

Em mais uma investida contra os homossexuais, o ex-deputado federal Walter Brito Neto (PRB) se posicionou hoje à tarde contra o projeto antihomofobia e declarou que o projeto antihomofobia (PLC 122) seria "de grande risco para a sociedade brasileira" porque prevê a punição de atos discriminatórios contra os gays. Ele também criticou a tese de adoção por casais homoafetivos, alegando que seria uma forma de desconfigurar a família:

– A lei da adoção não dá direito a pais homossexuais adotarem crianças, mas não pode querer dizer que um homem barbado seja caracterizado como mãe. Uma mulher não pode ser caracterizada como pai. Isso é desfigurar a família e o papel do pai e da mãe. Lutamos contra isso, mas na condição de solteiro, qualquer pessoa pode adotar.

Brito Neto ainda comentou a censura pública sofrida por ele e vinda de outro político evangélico, o deputado estadual Ruy Carneiro, que o aconselhou a ser "mais cristão" e não discriminar os gays.

– Ruy Carneiro perdeu seu precioso tempo para me atacar. Ele deveria se preocupar com as questões de interesse da Paraíba. Ele vai à Igreja pedir votos, mas defende os homossexuais. Eles devem ter seus representantes e se Ruy Carneiro se colocar como um deles, vou entender, mas ele não pode atacar à minha pessoa.

A entrevista de Walter Brito Neto foi concedida à rádio 98 FM de João Pessoa.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.