Bolsonaro cogita se filiar ao Partido da Mulher Brasileira

Brasília – O presidente Jair Bolsonaro incluiu o Partido da Mulher Brasileira (PMB) no leque de partidos cotados para se filiar. A interlocutores, Bolsonaro disse ver a legenda como uma “boa possibilidade”, principalmente após as negociações com o Patriota, que era o preferido do chefe do Executivo, arreferecem, como informou O GLOBO hoje. Apesar da retomada de diálogo com o PMB, a ida para a sigla é considerada difícil por integrantes do núcleo de Bolsonaro, por conta de rusgas ocorridas no final de 2019, quando a filiação ao partido chegou a ser aventada. Interlocutores do presidente também têm conversado com DC, PMN e PSC.

Em 2019, o chefe do Executivo chegou a ensaiar migrar para a legenda, mas, durante as negociações, a presidente do PMB, Suêd Haidar, desagradou à cúpula de Bolsonaro, que avalia que a dirigente fez jogo duplo, buscando ao mesmo tempo obter benefícios com o núcleo do presidente e com a ala do PSL ligada a Luciano Bivar, que comanda o ex-partido de Bolsonaro e, na época da ruptura, era seu adversário político.

Segundo interlocutores de Bolsonaro, desta vez foi Suêd Haidar quem procurou o núcleo do presidente para retomar a negociação, após descobrir que a migração do chefe do Executivo para o Patriota está cada vez mais difícil. Bolsonaro não abre mão de ter o controle da executiva nacional do futuro partido e nem de diretórios estaduais estratégicos, e é aí que reside a resistência de dirigentes em aceitar os termos propostos pelo presidente.

O Partido da Mulher Brasileira é presidido por Suêd Haidar. Em novembro do ano passado, quando foi candidata a prefeita do Rio, ela e sua vice Jéssica Natalino foram alvos de busca e apreensão da Polícia Federal. A Operação Sólon mirou residências e comitês de campanhas e empresas ligadas à prática de lavagem de dinheiro conexos a crimes eleitorais na Zona Oeste do Rio.

Jéssica é filha do ex-deputado estadual José Guimarães Natalino e sobrinha do ex-vereador Jerônimo Guimarães filho, o Jerominho. Os irmãos são apontados judicialmente como fundadores da Liga da Justiça, uma das maiores milícias do Rio. Jerominho já foi preso e condenado por chefia o grupo miliciano.

Nesta segunda-feira pela manhã, Bolsonaro voltou a falar a apoiadores no Palácio da Alvorada que está negociando com um partido, o qual seria dono. O presidente não disse qual a legenda.

— Estou namorando outro partido, onde eu seria dono dele, como alternativa, se não sair o Aliança, você está entendendo? Não é quando você estar namorando um cara e se der errado, vou namorar aquele outro. Não é isso, não. Na política, eu tenho que ficar ligado. Então há a possibilidade de eu ter outro partido.

Após o arrefecimento das negocaições com o Patriota, Bolsonaro também retomou negociações com partidos como PSC, DC, PMN.

 

O Globo Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.