Blogueiro bolsonarista, que postou vídeo contra Boulos, é preso outra vez pela PF

 

A Polícia Federal prendeu na manhã desta terça-feira (17) o blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio por ter burlado decisão de Alexandre de Moraes, do Supremo.

Ele terá que usar tornozeleira eletrônica a partir de agora, em nova determinação do ministro.

O blogueiro não poderia sair de Brasília sem autorização prévia, mas recentemente foi a São Paulo, onde teria feito matéria jornalística atacando Guilherme Boulos, candidato à Prefeitura pelo PSOL.

Oswaldo Eustáquio é investigado junto do blogueiro Allan dos Santos e da extremista Sara Winter no inquérito que apura suposto esquema de organização e financiamento de atos antidemocráticos em defesa da ditadura militar e pelo fechamento do Congresso Nacional.

A PF também cumpriu busca e apreensão na residência de Eustáquio e, por determinação de Moraes, deveria apreender os aparelhos eletrônicos do blogueiro.

Em nota, a assessoria dele disse que “a prisão é ilegal, imoral e inconstitucional por crime de opinião, sendo assim rasgada a Constituição Brasileira” (leia a nota na íntegra abaixo).

Na reportagem, o bolsonarista acusava o candidato do PSOL de ter contratado empresas de fachada na eleição.

O vídeo com informações falsas, que dizia revelar o “laranjal de Boulos”, foi usado por Celso Russomanno (Republicanos) durante debate dos concorrentes à Prefeitura de São Paulo realizado por Folha e UOL.

Dias depois, no entanto, a Justiça Eleitoral ordenou a retirada do ar da suposta matéria e, em seguida, determinou a suspensão da conta dele no YouTube por conta dos ataques a Boulos. A decisão veio após a campanha de Boulos entrar com uma ação acusando o blogueiro de propagar fake news.

Em junho, Eustáquio foi preso em Campo Grande (MS) com autorização de Moraes a pedido da Polícia Federal. Os investigadores argumentavam que a medida deveria ser cumprida porque havia risco de fuga. Duas semanas antes, ele tinha sido alvo de busca e apreensão no inquérito dos atos antidemocráticos.

Logo depois da Justiça bloquear seu canal, ele se manifestou nas redes sociais. “Eles me prenderam, me censuraram e agora derrubaram meu canal depois que denunciei Boulos e Paes”, disse em um dos tuítes.

Após o cumprimento dos mandados nesta terça, a assessoria de imprensa do blogueiro enviou a nota abaixo.

“A assessoria de imprensa do jornalista Oswaldo Eustáquio informa que a prisão é ilegal, imoral e inconstitucional por crime de opinião, sendo assim rasgada a Constituição Brasileira. De acordo com o documento enviado pelo ministro Alexandre de Moraes, o motivo da prisão se trata pela reportagem que ele fez denunciando o laranjal do Boulos, desta forma, atirando no mensageiro. A Justiça brasileira ainda não investigou o laranjal de Boulos e também o laranjal do PSL, o crime que denunciado pelo deputado federal Nereu Crispim, que revela uma questão de segurança nacional que ainda não foi apurado pela douta procuradoria. O jornalista Oswaldo Eustáquio lamenta mais essa arbitrariedade e diz que vai denunciar tudo isso à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos. Diz ainda que está de cabeça erguida, porque sabe do trabalho patriótico pelo Brasil e espera que a justiça apure tanto as denúncias do deputado Nereu Crispim tanto quanto as denúncias da empresa fantasma de Boulos em São Paulo, um escândalo de corrupção.”

 

Com Folha de S. Paulo

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.