Bica estranha laudo e nega maus tratos à elefanta Lady

O Parque Zoobotânico Arruda Câmara, Bica, emitiu uma nota na tarde de hoje em resposta a um laudo veterinário encomendado pelo Ministério Público Federal e que aponta a existência de maus tratos à elefanta Lady. O documento, elaborado por quatro veterinários, afirma que o animal está em sofrimento por causa de uma pododermatite avançada, com inflamação e dor e que corre risco de morte. Além disso, ela sofreria abuso psicológico por parte de seu antigo tratador. Ainda de acordo com o laudo, a Bica não dispõe de condições fr tratar do animal.

A nota, contudo, afirma que o laudo causou estranheza à Secretaria de Meio Ambiente. O secretário Abelardo Jurema Neto afirma não haver “a menor possibilidade de que Lady esteja sendo mau tratada”.

Confira a íntegra do texto:

O Parque Zoobotânico Arruda Câmara, Bica, tem tradição em acolher animais que são vítimas do tráfico e que sofreram maus tratos. Não compramos, não leiloamos e não recebemos animais que têm condições de voltar à natureza.

Causa estranheza à Secretaria de Meio Ambiente (Semam) da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) a divulgação de um laudo para a imprensa, onde supostamente é questionada a saúde da elefanta Lady, sem a devida notificação dos órgãos gestores da PMJP, responsáveis pelo cuidado do animal. A Semam sempre esteve aberta ao diálogo e preza pela transparência da informação.

Lady está há seis anos sob a responsabilidade da PMJP, num recinto construído especialmente para ela, com 2.500 m². Todos os dias dois profissionais, cuidadores de animais , fazem o acompanhamento de Lady, que recebe uma dieta balanceada e tratamento médico com equipe de veterinários. Por dia ela é alimentada com 90 kg de capim, 25 kg de frutas e 3 kg de ração.

Lady é originária da floresta tropical da Índia e nasceu em cativeiro. Por causa dessa condição a elefanta vai precisar sempre de tratadores e de ser alimentada. Se for solta em qualquer ambiente, não vai sobreviver, por se tratar de um animal que já nasceu em cativeiro. Também por esta condição, da vida no cativeiro, Lady precisa ter as unhas das patas cortadas periodicamente – por esta razão ela se encontra com uma inflamação nas duas patas. Para que o tratamento seja feito, é preciso a atuação do primeiro cuidador de Lady – única pessoa que consegue se aproximar do animal, sem que ela esteja isolada. Como ele não teve como vir a João Pessoa, está sendo providenciada a compra de um brete, equipamento que isola Lady e oferece condições para que qualquer veterinário faça o tratamento.

O secretário de Meio Ambiente de João Pessoa, Abelardo Jurema Neto, reitera que a Bica acolhe animais vítimas de maus tratos e não há a menor possibilidade de que Lady esteja sendo mau tratada. “É um absurdo esse tipo de comentário. Temos hoje na Bica aproximadamente 500 animais que não têm condições de voltar para o habitat natural, assim como Lady. Fazemos o melhor para que ela tenha uma condição de vida com mais conforto e saúde e assim vamos continuar fazendo. Respeitamos os órgãos como o Ministério Público Federal, a Universidade Federal da Paraíba, mas reiteramos que não procedem os comentários veiculados na imprensa local”, concluiu.

Comentários