Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Beto Richa, ex-governador do Paraná, é preso pela terceira vez em seis meses

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso preventivamente (por tempo indeterminado) na manhã desta terça-feira (19), em Curitiba, acusado de desviar dinheiro que deveria ser usado na construção de escolas. Esta é a terceira prisão de Richa nos últimos seis meses. Nas duas vezes anteriores ele foi solto por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A ação é desdobramento da Operação Quadro Negro, que apura desvios de R$ 20 milhões na área da educação. Na semana passada o ministro Gilmar Mendes, do Supremo, concedeu habeas corpus ao tucano. Mas o salvo-conduto vale apenas para investigações decorrentes da Operação Lava Jato.

As apurações que levaram Richa à prisão nesta terça são baseadas em delação do empresário Eduardo Lopes, dono da construtora Valor. Segundo ele, a empreiteira recebeu quase R$ 20 milhões por construções que não foram iniciadas ou concluídas. De acordo com o delator, relatórios fraudulentos da Secretaria de Educação apontavam que as obras estavam em andamento. O ex-governador, conforme Lopes, era um dos beneficiários do esquema.

Também em delação premiada, um ex-diretor da Secretaria de Educação afirmou que a propina irrigou campanhas eleitorais de Beto Richa entre 2002 e 2015 e custeou despesas pessoais do ex-governador, inclusive a compra de um apartamento.

Além do tucano, também foram presos o empresário Jorge Atherino, apontado pelo Ministério Público como operador financeiro de Richa, e Ezequias Moreira, ex-secretário especial de Cerimonial e Relações Exteriores do Paraná. A polícia cumpre, ainda, mandados de busca e apreensão em imóveis do ex-governador no Paraná e em Santa Catarina.

Preso em janeiro na 58ª fase da Lava Jato, Richa foi solto uma semana depois por decisão do ministro João Otávio de Noronha, do STJ. Nesse caso ele é acusado de irregularidades na concessão de rodovias do Paraná. A primeira prisão dele ocorreu em setembro do ano passado na Operação Patrulha do Campo. Na época ele era candidato a senador e foi solto por determinação de Gilmar Mendes, que considerou que houve abuso e “indicativos de decisão política” na prisão. O tucano continuou na disputa, mas não conseguiu se eleger.

Congresso em Foco

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Banco do Nordeste nomeia novo superintendente na Paraíba

Prefeito paraibano fala de “infelicidade” de ter filhos autistas e servidora acrescenta: “São doidos”

Anteriores

WhatsApp-Image-2022-06-02-at-16.54.09-768x450

Comissão pune presidente do Conselho de Medicina na Paraíba e suspende campanha por 18 dias

bmb2024

Brasil Mostra Brasil termina neste domingo com promoções nos estandes

1720910506669302aa581b2_1720910506_3x2_lg

Atirador e participante de comício morrem durante atentado a Donald Trump nos EUA

trumptiro

Trump é retirado às pressas de comício depois de ser atingido na orelha; veja

Eliane

São João de Galante tem shows de Eliane e Banda Encantus neste sábado

Dupla é presa suspeita de assaltar bombeiro de Pernambuco na orla de João Pessoa

Dupla é presa suspeita de assaltar bombeiro de Pernambuco na orla de João Pessoa

joao azevedo, unidades habitacionais, joao pessoa

João Azevêdo entrega moradias com amplas áreas de lazer e infraestrutura a 320 famílias de João Pessoa

mulher hospital FOTO Pixabay

Menina tem aborto legal negado pela Justiça em Goiás e magistradas são acionadas no CNJ

mega sena FOTO agencia brasil

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 15 milhões

onibus FOTO Pixabay

Menino morre atropelado por ônibus escolar em Itabaiana